Eleições 2020 Candidatos usam lives para apontar desafios da próxima gestão em SP

Candidatos usam lives para apontar desafios da próxima gestão em SP

Em debates e eventos online, alguns dos concorrentes ao posto de prefeito da capital paulista comentam as demandas prioritárias nesta quinta-feira (29)

  • Eleições 2020 | Cesar Sacheto, do R7

Concorrentes à Prefeitura de SP falaram no lançamento do Mapa da Desigualdade

Concorrentes à Prefeitura de SP falaram no lançamento do Mapa da Desigualdade

Reprodução

Os candidatos à Prefeitura de São Paulo estiveram envolvidos em eventos online nesta quinta-feira (29), como o lançamento do Mapa da Desigualdade 2020, da Rede Nossa São Paulo, no qual disseram ver a geração de renda como desafio para 2021. Parte dos políticos também esteve em entrevistas à imprensa, reuniões e panfletagens. As eleições municipais serão realizadas no dia 15 de novembro e o segundo turno de votações está  marcado para o dia 29 do mesmo mês.

Leia também: Candidatos afirmam que gerar renda em SP será desafio para 2021

A campanha eleitoral começou oficialmente no dia 27 de setembro e o R7 tem divulgado os compromissos de campanha de todos os 14 concorrentes à administração municipal paulistana. O critério definido para apresentação foi a ordem alfabética.

Andrea Matarazzo (PSD)

O candidato do PSD, Andrea Matarazzo, participou de sabatina realizada pela Folha de S.Paulo e o portal UOL. Depois, ele esteve em encontro virtual com Grupo Criança na Creche.

Antônio Carlos Silva (PCO)

O candidato do PCO, Antônio Carlos Silva, fez panfletagem no Tatuapé, na zona leste, durante o período da manhã. À tarde, ele visitou famílias da região e voltou a fazer panfletagem, mas no Metrô Sé, na região central.

Arthur do Val Mamãe Falei (Patriota)

O candidato a prefeito pelo Patriota, Arthur do Val Mamãe Falei, participou do Simpósio sobre Segurança Pública, na zona norte da cidade.

À tarde, ele concedeu entrevistas para as TVs Globo e Band, portal Bitcoin e participou do debate "Universidade Vai às Urnas".

Bruno Covas (PSDB)

O candidato do PSDB à reeleição, Bruno Covas, participou do lançamento do Mapa da Desigualdade 2020 da Rede Nossa São Paulo.

Depois, iniciou uma série de visitas no bairro da Liberdade, a começar pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo, na região central da cidade.

Durante visita, Bruno Covas destacou a importância das colônias de imigrantes e migrantes para o desenvolvimento da capital.

Covas visitou comunidade japonesa

Covas visitou comunidade japonesa

Divulgação/Patrícia Cruz

"São Paulo é uma cidade que se orgulha da sua diversidade. É a cidade de todas as cores, de todos os credos, de todas as raças e de todas as religiões", declarou.

Posteriormente, recebido pelo presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa, e após conhecer o Museu Histórico da Comunidade Japonesa, o prefeito reforçou o apreço por todos aqueles que buscaram em São Paulo uma nova oportunidade de vida.

"Em nome da colônia japonesa, quero agradecer a todas as outras que adotaram São Paulo, que tem sua força baseada nos migrantes e imigrantes. Gente do Brasil e do mundo inteiro, que escolheu nossa cidade para empreender e crescer", disse Bruno Covas.

Questionado pelos jornalistas sobre a sanção do projeto que cria uma renda básica emergencial no valor de R$ 100,00 em São Paulo, já aprovado pela Câmara Municipal, o prefeito afirmou que a medida será avaliada agora pelo departamento jurídico da administração. "Nossa expectativa é que a aprovação saia até semana que vem", comentou.

Bruno Covas ainda concedeu entrevista à agência de notícias EFE e ao programa CDB (COM Brasil Debate).

Celso Russomanno (Republicanos)

O candidato do Republicanos, Celso Russomanno, fez passeata no bairro Cidade Tiradentes, na zona leste. À tarde, ele foi entrevistado pela rádio Jovem Pan.

Em seguida, Russomanno foi entrevistado pela TV Bandeirantes fez live nas redes sociais com o Sindviários (Sindicato dos Trabalhadores do Trânsito).

Filipe Sabará (Novo)

O candidato do Novo, Filipe Sabará, não tem agenda.

Guilherme Boulos (PSOL)

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos participou do lançamento do Mapa da Desigualdade 2020 da Rede Nossa São Paulo, durante a manhã. À noite, ele esteve no debate virtual "Universidade Vai às Urnas".

Jilmar Tatto (PT)

O candidato do PT, Jilmar Tatto, participou do lançamento virtual do Mapa da Desigualdade, da Rede Nossa São Paulo, durante a manhã.

Depois, à noite, Jilmar esteve no debate virtual dos centros acadêmicos de universidades e em encontro online com Mulheres do Grupo-Melhor aos 50.

Joice Hasselmann (PSL)

A candidata do PSL, Joice Hasselman, gravou material para o horário eleitoral e visitou as regiões de Jardim Amália, Portelinha e Jardim Jangadeiro no período da manhã.

 À tarde, Joice teve um reunião com a equipe do plano de governo e, depois, se encontrou com líderes religiosos. À noite, a candidata interagiu com seguidores nas redes sociais e participou de jantar com empresárias.

Levy Fidelix (PRTB)

O candidato do PRTB, Levy Fidelix, não teve agenda pública nesta quinta-feira.

Márcio França (PSB)

O candidato do PSB, Márcio França, participou de reunião na Associação dos Amigos dos Excepcionais do Brooklin, na zona sul. Na sequência, esteve no lançamento do Mapa da Desigualdade, da Rede Nossa São Paulo, em cerimônia virtual.

França disse que pretende fazer um governo voltado às regiões periféricas da cidade para reduzir as desigualdades.

O político também quer também garantir em seu governo que os moradores da periferia tenham acesso às mesmas qualidades de serviço público de quem mora no centro de São Paulo. Por isso, o candidato fará um governo voltado para as áreas mais periféricas.

"Isso significa que, de alguma forma, o serviço público não chegou lá [na periferia] com a mesma qualidade”, ressaltou o candidato.

França prometeu combater desigualdade social

França prometeu combater desigualdade social

Divulgação/Fernanda Luz

Ainda segundo Márcio França, para conseguir reverter esse quadro de desigualdade é preciso tirar as subprefeituras que estão nas mãos de vereadores. "Esses cargos não são para serem políticos, são para serem exercidos com um tremendo esmero, porque na periferia a pessoa conhece o subprefeito e não o prefeito. Então, a subprefeitura tem que ser de fato uma prefeitura lá no bairro", complementou.

França vai extinguir 99% das nomeações para cargos de confiança na administração municipal. “Nessa função [nas subprefeituras] não dá para ter vereador [influenciando] porque é a prefeitura na ponta. Se eles [vereadores] estão em cima desses cargos, passam a sensação para as pessoas que ou se vincula com eles ou nao vai ter o serviço”, afirmou.

Mais tarde, França gravou programas do horário eleitoral, participou de sabatina online do Estadão e de uma plenária de Cidadania na zona leste da capital.

Marina Helou (Rede)

A candidata a prefeita pela Rede Sustentabilidade, Marina Helou, participou da CPI de Abuso Sexual no Ensino Superior. Ainda pela manhã, ela esteve em aula online com Jackson Santos sobre Políticas Públicas, diversidade na política e educação.

À tarde, Marina visitou o Capão Redondo, na zona sul, junto com o candidato Anderson S. Gomes.

Mais tarde, a candidata participou do debate online "Universidade Vai às Urnas" e esteve na roda de conversa com a Escola de Cidadania, na zona leste.

Orlando Silva (PCdoB)

O candidato do PCdoB, Orlando Silva, concedeu entrevista à rádio Eldorado durante a manhã. Depois, o comunista almoçou com moradores da periferia na Freguesia do Ó, na zona norte.

À tarde, Orlando Silva debateu o plano de governo no Sindicato dos GCMs (Guardas Civis Municipais).

Mais tarde, o candidato teve encontro online com o Movimento Crianças na Creche e Andrea Matarazzo e foi entrevistado pela Band News TV.

Vera Lúcia (PSTU)

A candidata do PSTU, Vera Lúcia, gravou vídeos de campanha e, à noite, participou de debate organizado pela instituição "Universidade vai às Urnas".

No encontro, Vera Lúcia destacou a questão da fome na sociedade atual e cobrou a adoção de políticas estruturais para garantir alimentação e boas condições de vida para a classe trabalhadora, algo além dos atuais programas assistencialistas em vigor no país.

Vera Lúcia destacou a necessidade de políticas estruturais para acabar com a fome

Vera Lúcia destacou a necessidade de políticas estruturais para acabar com a fome

Divulgação/Tácito Yuri Dutra Chimato

"Estima-se que 56 milhões morrem de fome todos os anos por desnutrição. Mais de 150 mil por dia. Isso ocorre porque 90% do mercado mundial de alimentos é controlado por 50 grandes empresas. Diante da catástrofe social que vivemos, é preciso um programa emergencial para já. Mas sem uma política estrutural que atenda às necessidades da classe trabalhadora e do povo pobre, a fome nunca vai acabar", declarou Vera.

*O R7 divulga diariamente as notícias sobre o dia de campanha dos postulantes ao cargo de prefeito da capital paulista. O espaço no portal está aberto a todos os candidatos.

Veja o currículo dos candidatos à Prefeitura de São Paulo:

Últimas