Eleições 2022 Ministro da Defesa visita sala de totalização de votos no TSE

Ministro da Defesa visita sala de totalização de votos no TSE

Visita ao local onde os votos serão contabilizados foi um convite do ministro do TSE, o ministro Alexandre de Moraes

  • Eleições 2022 | Do R7, em Brasília

Apresentação da sala da Seção de Totalização para representantes de partidos e para órgãos de fiscalização

Apresentação da sala da Seção de Totalização para representantes de partidos e para órgãos de fiscalização

Alejandro Zambrana/Secom/TSE

O ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, visitou, na manhã desta quarta-feira (28), a sala de totalização de votos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O local é onde são somados os votos do eleitorado. A visita foi um convite do presidente da Corte, o ministro Alexandre de Moraes.

Veja a cobertura completa das Eleições 2022 na página especial do R7

Além do ministro, também visitaram a sala representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Controladoria-Geral da União (CGU) e representantes de partidos. 

No fim da visita, Moraes voltou a afirmar que a totalização dos votos nas eleições é transparente, auditável e pode ser fiscalizada. "É importante atuar com transparência, lealdade e mostrar que é uma sala aberta e clara, não é uma sala secreta nem escura. A partir das 16h30 do domingo, esta sala será aberta a todas as entidades fiscalizadoras e partidos políticos", disse. 

A sala da Seção de Totalização é um espaço de trabalho convencional, com computadores distribuídos em baias e com acesso livre para os representantes das entidades fiscalizadoras, como Ministério Público (MP), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Polícia Federal (PF), partidos políticos, Forças Armadas e observadores internacionais.

"É importante dizer que nessa sala não se contam os votos, não tem contagem manual. A partir do momento em que cada urna eletrônica é finalizada, já sai o boletim de urna com os votos. Esses votos entram no sistema e esse sistema faz a totalização a partir de um programa. Não há participação humana", destacou Moraes. "Os técnicos que ficam na sala acompanham o processo para evitar sobrecarga e acompanham com total fiscalização", finalizou.

Defesa nas Eleições

Na última terça (27), Nogueira recebeu a comitiva da Missão de Observação das Eleições da Organização dos Estados Americanos (OEA), chefiada por Rubén Ramírez Lezcano. Segundo o Ministério da Defesa, na reunião, foi apresentado o trabalho técnico realizado pelas Forças Armadas na Comissão de Transparência das Eleições e na fiscalização do sistema eletrônico de votação.

"Além disso, os representantes do organismo internacional conheceram as propostas formuladas pelas Forças Armadas para aperfeiçoamento da segurança e da transparência do processo eleitoral", informou a pasta.

Tradicionalmente, Marinha, Exército e Aeronáutica auxiliam o TSE em duas áreas distintas nas eleições: logística e segurança.

Na primeira, os militares providenciam o transporte de urnas eletrônicas, de colaboradores da Justiça Eleitoral e de materiais. Já na segurança, as tropas atuam em conjunto com os órgãos de segurança pública e por solicitação de autoridade eleitoral, para permitir que os brasileiros exerçam o direito do voto.

Para 2022, a Defesa ativou seis comandos conjuntos, que contam com militares e equipamentos das três Forças Singulares. São eles: Amazônia, Norte, Nordeste, Oeste, Leste e Planalto. Além desses, o Comando de Operações Aeroespaciais (Comae) permanece ativado para auxiliar a qualquer tempo.

Últimas