Eleições 2022 Moraes garante que quem estiver na fila até as 17h poderá votar

Moraes garante que quem estiver na fila até as 17h poderá votar

Ministro do TSE comentou que eleições ocorrem em clima 'absolutamente ameno' e dentro do esperado

Alexandre de Moraes em entrevista coletiva no TSE

Alexandre de Moraes em entrevista coletiva no TSE

R7

Em entrevista coletiva na tarde deste domingo (2), o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), garantiu que quem estiver na fila até as 17h conseguirá votar. Ele afirmou que o primeiro turno das eleições deste ano está ocorrendo de forma “absolutamente tranquila, com clima ameno”. Segundo ele, as intercorrências que ocorreram são incidentes normais em toda eleição.

O ministro também falou sobre o decreto que proibiu o porte de arma em um raio de 100 metros dos locais de votação. "Dia de eleição não é dia de arma. A arma do eleitor é o voto”, afirmou. Em 30 de agosto, a o plenário do TSE decidiu, por unanimidade, a proibir o porte de arma nos locais de votação. A vedação vale, inclusive, para integrantes das forças de segurança que não estejam a serviço no dia do pleito.

"A questão preventiva das armas me parece que foi importante e teve uma grande aceitação. Os próprios CACs parece que entenderam muito bem isso, sobre a importância da segurança e da democracia", afirmou.

A Justiça Eleitoral também decidiu que neste ano o eleitor não pode entrar na cabina de votação com o celular. Segundo o ministro, as pessoas que burlarem a regra serão responsabilizadas. 

Moraes também disse

Mais cedo, Moraes votou em um colégio eleitoral na Zona Sul da capital paulista. Depois seguiu para Brasília, onde vai acompanhar a apuração dos votos.

Neste sábado (1), o magistrado fez um pronunciamento na televisão e no rádio. Ele disse que o primeiro turno das eleições será realizado de maneira segura, transparente e confiável. De acordo com Moraes, a Justiça Eleitoral vai garantir a plena liberdade e segurança no exercício do direito do voto de cada eleitor.

Últimas