Eleições 2022 'Pode ter havido roubo na Petrobras', diz Lula em debate

'Pode ter havido roubo na Petrobras', diz Lula em debate

Candidato do PT ao Planalto se esquivou ao ser confrontado por Jair Bolsonaro sobre o esquema de corrupção do Petrolão

Lula no debate da TV Band

Lula no debate da TV Band

Band TV/Reprodução

Candidato do PT à Presidência da República, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que "pode ter havido roubo na Petrobras" durante os governos petistas. A declaração foi feita no debate da TV Band, neste domingo (16), após Lula ter sido confrontado pelo atual presidente Jair Bolsonaro (PL) sobre o escândalo do Petrolão.

"Quando o cara confessa um crime é porque ele cometeu um crime. As pessoas foram lá e delataram. Que houve roubo na Petrobras, pode ter havido", disse Lula. O petista lembrou que prenderam quem roubou a Petrobras porque houve investigação, sem sigilos nas ações do governo.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DAS ELEIÇÕES 2022 NA PÁGINA ESPECIAL DO R7

Em seguida, o petista disse que, para combater a corrupção, não era necessário fechar empresas. "Na Coreia, não fecharam a Samsung, na Alemanha não fecharam a Volkswagen. Ou seja, prendeu o dono da empresa e os trabalhadores continuaram trabalhando, a empresa continuou produzindo", completou Lula.

Ao falar sobre o assunto, Bolsonaro disse que o Petrolão foi "o maior esquema de corrupção da história da humanidade" e que provocou o "endividamento" da Petrobras com desvio de recursos. Bolsonaro disse ainda que o ex-presidente "dividiu o dinheiro da corrupção com amigos".

O escândalo da Petrobras, conhecido como "petrolão", foi um esquema de lavagem de dinheiro na Petrobras durante os governos do PT que envolvia cobrança de propina das empreiteiras, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e superfaturamento de obras. Esse esquema foi alvo de investigação da Polícia Federal na Operação Lava Jato.

O debate foi o primeiro encontro direto entre os dois candidatos desde o primeiro turno das eleições e foi promovido por pool formado pelo portal UOL, o grupo Bandeirantes, a Folha de S.Paulo e a TV Cultura, com apoio do Google e YouTube. Em determinados momentos, os próprios candidatos puderam administrar o tempo e andar pelo palco do estúdio.

Últimas