Eleições 2022 Sem Roberto Jefferson, PTB lança Padre Kelmon à Presidência

Sem Roberto Jefferson, PTB lança Padre Kelmon à Presidência

Padre Kelmon era vice na chapa de Jefferson, que teve o registro de candidatura rejeitado pelo TSE nesta quinta-feira (1)

  • Eleições 2022 | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Padre Kelmon e Roberto Jefferson

Padre Kelmon e Roberto Jefferson

Divulgação/PTB

O PTB anunciou nesta quinta-feira (1) uma nova chapa para concorrer à Presidência da República. Depois de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitar o registro da candidatura de Roberto Jefferson, o partido decidiu lançar Padre Kelmon como candidato. O vice dele será Pastor Gamonal.

"Em virtude da impugnação ilegal da candidatura a presidência do Brasil, do Presidente de Honra do PTB, Roberto Jefferson, o PTB nacional vem a público informar a sua nova chapa. O candidato à presidência agora é o Padre Kelmon, e o vice-presidente Pastor Gamonal", informou o PTB, por meio de nota.

O plenário do TSE anulou, por unanimidade, a candidatura de Roberto Jefferson ao Palácio do Planalto por entender que o político está inelegível em virtude de uma condenação recebida em 2012 no caso do mensalão.

Naquele ano, Jefferson foi considerado culpado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena, aplicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), foi de 7 anos e 14 dias de prisão, em regime semiaberto.

Jefferson foi liberado para o regime aberto em maio de 2015. Em março de 2016, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), com base em um indulto assinado pela ex-presidente Dilma Rousseff, concedeu perdão da pena do político e de outros cinco condenados.

O TSE rejeitou a candidatura com base em uma recomendação do Ministério Público Eleitoral (MPE), que disse que "indulto presidencial não equivale à reabilitação para afastar a inelegibilidade decorrente de condenação criminal". Segundo o órgão, "o indulto presidencial atinge apenas os efeitos primários da condenação, sendo mantidos os efeitos secundários". Dessa forma, o MPE afirma que Jefferson está inelegível até dezembro de 2023.

Últimas