Eleições 2022 TSE decide que emissoras não precisam sortear ordem das entrevistas

TSE decide que emissoras não precisam sortear ordem das entrevistas

Coligação do PT reclamou da ordem em que aparece na sabatina da Record TV

  • Eleições 2022 | Renato Souza, do R7, em Brasília

Sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília

Sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília

LR Moreira/Divulgação TSE - 24.08.2022

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, que emissoras de televisão não precisam sortear a ordem de entrevistas com candidatos à Presidência da República. Na avaliação da Justiça Eleitoral, a regra sobre a organização de eventos jornalísticos vale apenas para os debates.

A corte negou um pedido da federação Brasil da Esperança, que tem como candidato o ex-presidente Lula (PT), contra a Record TV. A emissora decidiu agendar as sabatinas de acordo com a ordem dos candidatos nas pesquisas eleitorais de intenções de voto.

A Justiça Eleitoral entendeu que o critério para a ordem das sabatinas é legal e não viola a legislação eleitoral, nem trata de maneira injusta nenhum dos candidatos.

O plenário da corte também recusou uma ação de Soraya Thronicke (União Brasil) movida contra outra emissora de televisão. A candidata pedia que os magistrados obrigassem a concessão de espaço para ela em um telejornal. Ela também não foi convidada, neste caso, por aparecer atrás nas pesquisas.

No entendimento dos ministros, as emissoras de TV não são obrigadas a aplicar regras voltadas para os debates em entrevistas individuais ou em outros formatos jornalísticos. Não cabe recurso da decisão. 

A Record TV vai realizar nos dias 23, 26, 27 e 28 de setembro uma série de sabatinas com os quatro candidatos à Presidência da República mais bem colocados na pesquisa IPEC de 29 de agosto de 2022.

A ordem das entrevistas é decrescente em relação à pesquisa, começando pelo mais bem colocado. Serão levados em conta somente os resultados totais, sem considerar a margem de erro.

Últimas