Internacional Advogado considera 'infundadas' acusações contra Suu Kyi

Advogado considera 'infundadas' acusações contra Suu Kyi

Junta militar afirma que líder civil de Mianmar recebeu mais de R$ 3,4 milhões e ouro como suborno de ministro-chefe do governo

  • Internacional | Da AFP

REUTERS/Kham/Pool/File Photo - 13.9.2018

O advogado de Aung San Suu Kyi rejeitou nesta sexta-feira (12) as acusações de corrupção da junta militar contra a líder civil destituída de Mianmar por considerá-las "infundadas", ao mesmo tempo em que as chamou de "difamação ilegal" por parte dos generais que tomaram o poder.

O país está em um cenário de caos desde o golpe de Estado de 1º de fevereiro, que provocou a destituição de Suu Kyi, detida e acusada por várias acusações penais, incluindo a de possuir "walkie-talkies" sem licença e de violar as restrições impostas pelo coronavírus.

Na quinta-feira, um porta-voz da junta apresentou novas acusações de corrupção contra ela, afirmando que um ministro-chefe agora detido admitiu que repassou 600 mil dólares e mais de 10 quilos de ouro para Suu Kyi.

Esta acusação "não tem fundamento, especialmente no que diz respeito aos dólares e aos lingotes de ouro, é a piada mais engraçada de todas", declarou à AFP seu advogado Khin Maung Zaw. "Nunca vi uma difamação tão ilegal", completou.

A Prêmio Nobel da Paz também foi acusada de violar uma lei de comunicações e de tentar incitar os distúrbios. Uma audiência está prevista para 15 de março, mas até agora Khin Maung Zaw não se reuniu de maneira privada com a cliente.

Suu Kyi não é vista em público desde que foi detida em 1º de fevereiro.

Últimas