Internacional Agente de modelos é investigado por ligação com Jeffrey Epstein

Agente de modelos é investigado por ligação com Jeffrey Epstein

Jean-Luc Brunel era amigo próximo do magnata e pode ter ajudado a criar rede de tráfico sexual de menores de idade e oferecido modelos 

Epstein foi acusado de tráfico sexual de menores

Epstein foi acusado de tráfico sexual de menores

New York State Division of Criminal Justice Services/Handout via REUTERS - 10.7.2019

Depois do suicídio de Jeffrey Epstein, empresário norte americano acusado de tráfico sexual de menores de idades, as autoridades estão investigando amigos do milionário que podem ter ajudado o magnata, incluindo um agente de modelos francês.

Jean-Luc Brunel, de 72 anos, está desaparecido e negou qualquer envolvimento nos crimes de Epstein, apesar da acusação do empresário ter conseguido conectar os dois em pedidos de procuras de modelos menores de idade.

Ainda não se sabe se Brunel será investigado e julgado na França.

Epstein e o agente tinham apartamentos luxuosos na Avenida Foch, em Paris. O empresário americano foi capturado pelo FBI depois de sair do avião particular em Nova York depois de voltar da França, no começo de julho.

A ligação entre os dois

Brunel entrou no ramo da moda em 1976, depois de anos sendo conhecido por festas e extravagâncias, pela agência Karin Models e depois com a Eileen Ford, nos anos 1980. Em 1988, diversas mulheres contaram ao programa 60 Minutes que Brunel abusava de modelos jovens, mas ele não foi investigado e julgado.

Com o fim do contrato com Ford, ele comprou a empresa Karin Models e se afiliou a outras grandes agências, lançando nomes como Sharon Stone e Monica Bellucci. Nos anos 90, ele abriu escritórios em Miami e Nova York, nos Estados Unidos.

A ligação com Epstein data de 2005, quando a agência mudou o nome para MC2 Model e teve investimento de US$ 1 milhão, cerca de R$ 4 milhões, do empresário americano. Nessa época, o magnata já estava sendo investigado pelo FBI pelo suposto comportamento predatório.

Brunel era um dos amigos mais próximos de Epstein, segundo relatórios do julgamento de 2011. Ele deixou mensagens de voz para o magnata dizendo que havia uma “professora russa que não é loira” e que ela tinha “2 X 8 anos”. Os investigadores não conseguiam concluir se a menina citada tinha 16 anos ou se eram duas crianças de 8 anos que estavam sendo oferecidas ao empresário americano.

Os dois também eram conhecidos por convencerem jovens de todas as partes do mundo a viajaram para encontra-los na esperança de se tornarem modelos, mas teriam que trabalhar como prostitutas para eles.

Entre 1998 e 2005, Brunel viajou 25 vezes no avião particular de Epstein e o visitou 67 vezes enquanto ele estava preso na Flórida, cumprindo pena por pedofilia.

Últimas