Internacional Após sanções, primeiro-ministro Boris Johnson é proibido de entrar na Rússia

Após sanções, primeiro-ministro Boris Johnson é proibido de entrar na Rússia

Anúncio foi feito por Moscou neste sábado (16). Veto também vale para altos funcionários do governo do Reino Unido

AFP
O primeiro-ministro Boris Johnson

O primeiro-ministro Boris Johnson

Matt Dunham/POOL/AFP - 14.4.2022

O governo da Rússia anunciou neste sábado (16) que proibirá a entrada do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e de vários outros altos funcionários de seu governo, em resposta às sanções impostas contra a Rússia pela guerra na Ucrânia.

"Esta medida foi tomada como resposta à [...] campanha política destinada a isolar intencionalmente a Rússia, para criar condições para sobrecarregar nosso país e estrangular nossa economia", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia em comunicado.

O ministério acusou Londres de lançar "ações hostis sem precedentes", em particular referindo-se a sanções contra altos funcionários russos.

"Os líderes britânicos estão agravando deliberadamente a situação em torno da Ucrânia, fornecendo ao regime de Kiev armas letais e coordenando esforços semelhantes em nome da Otan", disse o ministério.

Também estão vetados o vice-primeiro-ministro, Dominic Raab, a secretária de Relações Exteriores, Liz Truss, o secretário de Defesa, Ben Wallace, e a ex-primeira-ministra, Theresa May, além do primeiro-ministro escocês, Nicola Sturgeon.

O Reino Unido faz parte de uma ação internacional para punir a Rússia com congelamento de bens, proibição de viagens e sanções econômicas depois que o presidente russo, Vladimir Putin, iniciou uma guerra contra a Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Últimas