Internacional Armas transformam bairros dos EUA em 'campos de extermínio', diz Biden

Armas transformam bairros dos EUA em 'campos de extermínio', diz Biden

Presidente dos Estados Unidos se comprometeu a restabelecer a proibição dos fuzis de assalto que existia entre 1994 e 2004

AFP
Resumindo a Notícia
  • Após fim da proibição dos rifles de assalto, foram vendidas milhões destas armas de guerra

  • Biden pediu legislação que obrigue os proprietários de armas a guardá-las com segurança

  • Presidente alertou que armas representam a principal causa de morte de crianças no país

Joe Biden se comprometeu a restabelecer a proibição dos fuzis de assalto

Joe Biden se comprometeu a restabelecer a proibição dos fuzis de assalto

Chip Somodevilla/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP - 11.7.2022

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou, nesta segunda-feira (11), que as armas de fogo estão transformando os bairros americanos em "campos de extermínio" e se comprometeu a restabelecer a proibição dos fuzis de assalto.

Em uma cerimônia na Casa Branca pela nova lei de controle de armas promulgada em 25 de junho, Biden disse que esta norma representa o primeiro progresso significativo em 30 anos, mas que não é ampla suficiente.

"Nos últimos anos, nossas escolas, lugares de culto, centros de trabalho, lojas, festivais de música, discotecas e tantos outros locais cotidianos se transformaram em campos de extermínio", acrescentou.

Biden citou os recentes tiroteios que deixaram 19 crianças e dois professores mortos na escola de ensino fundamental em Uvalde, no Texas, 10 mortos em um supermercado de Buffalo, em Nova York, e sete mortos em um desfile de 4 de julho em Highland Park, nos arredores de Chicago, em Illinois.

"Os bairros e as ruas também se transformaram em campos de extermínio", expressou o presidente, acrescentando que todos os dias há "assassinatos trágicos que não aparecem nas manchetes".

Biden se comprometeu a restabelecer a proibição dos rifles de assalto que existia entre 1994 e 2004. Depois que foi levantada, foram vendidas milhões destas armas de guerra semiautomáticas de alta potência em todo o país, utilizadas repetidamente em tiroteios.

"Estou decidido a voltar a proibir estas armas... Não vou parar até conseguir", afirmou.

O presidente também pediu uma legislação que obrigue os proprietários de armas a guardá-las com segurança em suas casas. Ele garantiu que é o que ele faz com as armas que possui: duas suas e duas de seu filho falecido.

Biden disse que apoia o direito constitucional de possuir armas, mas também alertou que elas representam a principal causa de morte de crianças em todo o país.

Últimas