Internacional Cinco membros da ONU são sequestrados no Iêmen

Cinco membros da ONU são sequestrados no Iêmen

País sofre com guerra civil há mais de sete anos. Não está claro quem são os autores do sequestro

AFP
Cidadãos do Iêmen distribuem alimentos à população mais vulnerável

Cidadãos do Iêmen distribuem alimentos à população mais vulnerável

EFE/ Yahya Arhab

Cinco membros do pessoal da ONU foram sequestrados no sul do Iêmen, país que sofre com guerra civil há mais de sete anos, informou a organização neste domingo (13).

O sequestro ocorreu na última sexta-feira (11) em Abyan, no sul do país, quando o grupo voltava para a cidade portuária de Áden "após ter concluído uma missão no terreno", declarou à AFP Eri Kaneko, porta-voz da ONU. 

Leia também: Misterioso poço no Iêmen impressiona geólogos

"As Nações Unidas estão em contato estreito com as autoridades para assegurar sua libertação", acrescentou Kaneko. 

Leia também: Ataque saudita contra prisão no Iêmen deixa ao menos 200 mortos

Não está claro quem são os autores do sequestro.

Áden se tornou a sede do governo iemenita reconhecido internacionalmente depois que os rebeldes huthis tomaram a capital, Saná, em 2014. 

Uma coalizão liderada pela Arábia Saudita tem apoiado o governo na luta contra os huthis, alinhados ao Irã, desde 2015 — um conflito que deixou centenas de milhares de mortos e milhões de deslocados, no que é considerado a maior crise humanitária do mundo pela ONU. 

Últimas