Confrontos eclodem em protesto em Paris contra reforma da previdência

Os manifestantes colocaram fogo em cestos de lixo e polícia atirou gás lacrimogêneo 

Manifestante segura caixa de doações de recursos para greve durante protesto em Paris

Manifestante segura caixa de doações de recursos para greve durante protesto em Paris

Reuters

A polícia atirou gás lacrimogêneo neste sábado (4) na movimentada estação Gare du Nord, em Paris, e em Gare de l'Est, durante protestos contra planos de reforma da previdência da França.

Os manifestantes, que colocaram fogo em cestos de lixo, incluíram ativistas "coletes amarelos", cujo nome deriva de coletes de alta visibilidade usados por eles nos protestos. 

A polícia também atirou gás lacrimogêneo na área da Bastilha, enquanto manifestantes marchavam pela cidade. 

O presidente Emmanuel Macron disse que reformas são essenciais para simplificar o complicado sistema de aposentadorias, mas seus adversários dizem que isso fará com que o povo francês precise trabalhar por mais tempo. 

"As pessoas precisam pensar um pouco sobre qual tipo de sociedade elas querem no geral e, em um nível mais pessoal, se você tem 20, 30, 40 ou 50 anos, um dia se aposentará", disse Jean-Gabriel Maheo, técnico industrial. 

"Se o sistema for aprovado da maneira como foi apresentado, será uma catástrofe social. As reformas anteriores já estão fazendo com que as pessoas se aposentem com pensões míseras", acrescentou Maheo, que participava da manifestação. 

Boa parte da França tem sido prejudicada por uma greve de transportes desde o começo dos protestos, um mês atrás. Outra manifestação nacional está marcada para 9 de janeiro.