Internacional Estados Unidos procuram Rússia para negociar troca de prisioneiros

Estados Unidos procuram Rússia para negociar troca de prisioneiros

Antony Blinken conversará nos próximos dias com Sergei Lavrov também sobre exportação de grãos, entre outros assuntos

AFP

Resumindo a Notícia

  • Antony Blinken fará contato com Sergei Lavrov por telefone
  • Blinken não tratará com Lavrov sobre a guerra na Ucrânia
  • Brittney Griner e Paul Whelan podem ser repatriados pelos EUA
  • Viktor Bout pode voltar à Rússia após ter sido condenado nos EUA por tráfico de armas
Brittney Griner foi presa em um aeroporto da Rússia com drogas na mala

Brittney Griner foi presa em um aeroporto da Rússia com drogas na mala

Evgenia Novozhenina/Reuters - 7.7.2022

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Antony Blinken, disse, nesta quarta-feira (27), que conversará com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, pela primeira vez desde a invasão da Ucrânia. A conversa, no entanto, abordará outros assuntos, entre eles a libertação de americanos detidos.

A conversa telefônica com Lavrov acontecerá "nos próximos dias" e "não será uma negociação sobre a Ucrânia", explicou Blinken a jornalistas. O diplomata americano afirmou ainda que a conversa deve focar principalmente a retomada das exportações ucranianas de grãos.

"Espero falar sobre um assunto que é uma prioridade para nós: a libertação de Paul Whelan e Brittney Griner, que foram detidos injustamente e devem poder voltar para casa", adiantou.

"Várias semanas atrás, fizemos uma proposta durante as negociações para facilitar as liberações", disse Blinken, sem entrar em detalhes sobre o que foi proposto.

O ex-embaixador dos EUA em Moscou Michael McFaul pediu ao governo do presidente Joe Biden que troque esses detidos por Viktor Bout, um traficante de armas russo preso nos Estados Unidos.

A jogadora de basquete Brittney Griner foi detida em fevereiro no aeroporto de Moscou por carregar "vaporizadores" e um líquido perfumado com óleo de Cannabis em sua bagagem de mão, segundo autoridades russas. Griner pode ser condenada a até dez anos de prisão.

Paul Whelan, ex-soldado americano e ex-chefe de segurança de uma empresa de autopeças, está detido desde 2018 na Rússia e condenado a 16 anos de prisão por espionagem.

Últimas