Irã vai se reunir com potências, incluindo EUA, sobre acordo nuclear

Hassan Rohani colocou uma condição para encontro acontecer: não ser usado como propaganda para o presidente americano, Donald Trump

Rohani vai discutir acordo nuclear com Europa e EUA

Rohani vai discutir acordo nuclear com Europa e EUA

REUTERS/Timothy A. Clary/Pool

O presidente do Irã, Hassan Rohani, revelou nesta segunda-feira (14) a intenção de se reunir com os líderes das seis maiores potências mundiais, incluindo os Estados Unidos, para debater o acordo nuclear que havia firmado com elas.

Em uma entrevista coletiva, Rohani colocou uma condição para participar de um possível encontro: não fazer campanha eleitoral para o presidente americano, Donald Trump.

"Eu disse claramente aos líderes dos países europeus que, caso tenhamos certeza de que a reunião do grupo 5+1 não se trata de uma reunião eleitoral para o senhor Trump, eu participarei", afirmou.

"Assim que eu me assegurar dos benefícios para a nação do Irã que serão fornecidos na reunião e o peso da pressão sobre o povo for eliminado, aceitarei com honra" acrescentou.

Rohani argumentou que "o governo dos EUA, devido às pressões dos extremistas americanos, do regime sionista (em referência a Israel) e da Arábia Saudita, cometeu um grande erro e se retirou (do acordo)".

O presidente disse que entre os países que permanecem no acordo nuclear, o Irã tem boas relações com a China e a Rússia. Sobre Reino Unido, França e Alemanha, acusou-os de não terem "cumprido com suas promessas".

Rohani reiterou que o Irã manterá a posição de reduzir seus compromissos incluídos no acordo gradualmente a cada dois meses. Ele lembrou que o país já aplicou três etapas dessas reduções e assim continuará a fazer até que os países europeus que permanecem no acordo reassumam o que haviam prometido.

"Se eles retomarem seus compromissos, nós faremos o mesmo. Se não retomarem, continuaremos a reduzir os nossos", advertiu.

"Na primeira etapa, reduzimos os compromissos na quantidade da reserva do nosso urânio enriquecido e excedemos o limite de 300 quilos. Além disso, mencionamos nossa posição sobre a água pesada (segundo o acordo nuclear, o Irã tem um limite de reserva de 130 toneladas)", acrescentou.

Em julho, no segundo passo dado pelo Irã, o país "ignorou" seu enriquecimento com a pureza de 3,67% que o acordo marca como teto e superou esse nível.

"Aumentamos nosso nível de enriquecimento e chegamos a 4,5%", lembrou Rohani.

No ano passado, os EUA se retiraram do acordo nuclear selado em 2015 entre o Irã e as seis maiores potências mundiais e impôs duras sanções ao país.