Internacional Itália prende militar acusado de espionar para a Rússia

Itália prende militar acusado de espionar para a Rússia

Homem foi preso em flagrante enquanto passava documentos sigilosos para oficial das Forças Armadas russa por dinheiro

  • Internacional | Da Ansa

Itália prende militar acusado de espionagem

Itália prende militar acusado de espionagem

EFE

Um oficial da Marinha Militar da Itália foi preso na noite de terça-feira (30), em Roma, sob a acusação de espionar para a Rússia.

O militar foi detido em flagrante enquanto passava documentos sigilosos para um oficial das Forças Armadas russas, também preso, em troca de dinheiro. Capitão de fragata da Marinha, ele é acusado de obtenção de arquivos secretos e revelação de segredos militares para fins de espionagem.

Segundo a investigação, o oficial italiano tentou vender documentos sigilosos de natureza militar, incluindo arquivos sobre sistemas de telecomunicação, por cerca de 5 mil euros em dinheiro vivo (R$ 34 mil, pela cotação atual). O montante foi apreendido pela Arma dos Carabineiros, que flagrou a operação em um estacionamento de Roma.

O militar teria obtido esses arquivos, alguns deles relativos à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), enquanto prestava serviço no Estado Maior da Defesa.

O Ministério das Relações Exteriores da Itália convocou o embaixador da Rússia no país, Sergey Razov, para protestar contra a espionagem e comunicou a expulsão imediata de dois funcionários de Moscou envolvidos no caso.

"Agradeço aos nossos serviços de inteligência e aos aparatos do Estado que trabalham todos os dias pela segurança de nosso país", escreveu no Facebook o chanceler Luigi Di Maio. Se condenado, o militar, cujo nome não foi revelado, pode pegar até prisão perpétua.

Por meio de uma nota, a Embaixada da Rússia disse que é "inoportuno" comentar o caso no momento, mas acrescentou que espera que o episódio "não se reflita nas relações bilaterais" entre os países.

Já o Ministério das Relações Exteriores de Moscou lamentou a expulsão de dois funcionários russos e disse que estuda "possíveis passos em relação a essa medida, que não corresponde ao nível das relações bilaterais".

Itália expulsa funcionários da embaixada russa

O ministério das Relações Exteriores da Itália anunciou nesta quarta-feira (31) a "expulsão imediata" de dois funcionários da embaixada da Rússia envolvidos em um escândalo de espionagem entre os dois países, informou em um comunicado.

"Convocamos o embaixador russo na Itália e comunicamos o firme protesto do governo italiano. Notificamos a expulsão imediata de dois funcionários russos envolvidos neste grave assunto", escreveu no Facebook o chanceler italiano Luigi Di Maio.

Últimas