Internacional Italiano Cesare Battisti é preso na Bolívia

Italiano Cesare Battisti é preso na Bolívia

Estrangeiro foi condenado à prisão perpétua na Itália onde responde pela morte de quatro pessoas

Italiano foi preso em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia

Italiano foi preso em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia

Reprodução Facebook/Polícia Italiana

O italiano Cesare Battisti foi preso neste sábado (12), na Bolívia, segundo o jornal o Estado de S. Paulo. O STF (Supremo Tribunal Federal) havia emitido uma ordem de prisão em dezembro, mas o italiano não foi encontrado. A decisão cumpre um pedido do governo italiano de extradição de Battisti, onde foi condenado à prisão perpétua.

Leia mais: Battisti: 4 presidentes brasileiros, batalhas judiciais e fugas, a saga até prisão na Bolívia

Filipe Martins da Assessoria Internacional do Presidência publicou no Twitter uma mensagem na qual confirma a informação de que o italiano foi preso e poderá ser extaditado para a Itália, depois de trazido para o Brasil.

Segundo o jornal Corriere della Sera, Battisti estava em Santa Cruz de la Sierra. Ele caminhava quando acabou detido por uma equipe de investigadores italianos da Interpol. A notícia diz ainda que ele estava sozinho e não ofereceu resistência. O italiano vestia calça e blusa azul, e usava óculos escuros.

Leia mais: Primeiro-ministro diz que prisão de Battisti traz justiça às famílias

O caso

Cesare Battisti, de 63 anos, foi condenado na Itália por homicídios e vivia em São Paulo. Ex-membro do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas, ele foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios na década de 1970, dos quais se declara inocente.

Ele passou 30 anos como fugitivo entre o México e a França e, em 2004, veio para o Brasil, onde permaneceu escondido durante três anos, até ser detido em 2007.

Em 2009, o STF autorizou a extradição em uma decisão não vinculativa que dava a palavra final ao então presidente Lula, que a rejeitou em 2010, no último dia do segundo mandato e o ato foi confirmado pelo STF.


O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que pretende extraditar o italiano.

    Access log