Rússia x Ucrânia

Internacional Mariupol tem 80% das residências destruídas, e 30 mil abandonaram a cidade

Mariupol tem 80% das residências destruídas, e 30 mil abandonaram a cidade

Autoridades ucranianas estimam que município seja atingido entre 50 e 100 vezes por dia por ataques aéreos russos

Agência EFE
Refugiados que saíram de Mariupol começam a chegar a cidades no centro da Ucrânia

Refugiados que saíram de Mariupol começam a chegar a cidades no centro da Ucrânia

Emre Caylak/AFP - 16.3.2022

A destruição de Mariupol, sob o cerco russo durante os últimos 16 dias, é "colossal" e calcula-se que 80% das residências tenham sido destruídas, enquanto 30 mil pessoas conseguiram abandonar a cidade ucraniana nos últimos dois dias por meios próprios, informou a prefeitura nesta quinta-feira (17).

"De acordo com estimativas preliminares, cerca de 80% das residências da cidade foram destruídas, das quais quase 30% não podem ser restauradas. A situação em Mariupol é crítica", escreveu a prefeitura em seu canal no Telegram.

As autoridades disseram que a cidade tem estado sob bloqueio durante 16 dias e que mais de 350 mil residentes de Mariupol continuam escondidos em armazéns e porões "diante dos contínuos bombardeios das forças de ocupação russas" que lançam, em média, "50 a 100 bombas aéreas por dia".

Nos últimos dois dias, os habitantes de Mariupol começaram a evacuar a cidade por transporte privado para Berdyansk e Zaporizhzhia, após a abertura de um corredor.

"Ao todo, cerca de 6.500 carros deixaram a sitiada Mariupol. No total, cerca de 30 mil pessoas partiram em transporte próprio", informou.

Separadamente, a prefeitura esclareceu que ainda não há informações sobre possíveis baixas do bombardeio russo, na quarta-feira (16), de um teatro na cidade, onde mais de mil mulheres e crianças se abrigavam e que foi reduzido a escombros. Acredita-se que o abrigo antiaéreo do edifício tenha resistido ao ataque.

A cidade quase não tem água, medicamentos ou alimentos básicos e está sem gás nem eletricidade por causa dos bombardeios.

Últimas