Internacional Motorista atropela manifestantes, mata um e fere 19 pessoas no Chile

Motorista atropela manifestantes, mata um e fere 19 pessoas no Chile

Depois, o carro do atropelador foi cercado e atacado pelas pessoas que participavam do 'panelaço' nesta terça-feira, em San Pedro de La Paz, no Chile

Carro foi cercado pelos manifestantes

Carro foi cercado pelos manifestantes

Robert Contreras/Reprodução/Twitter

Ao menos uma pessoa morreu e 19 ficaram feridas após serem atropeladas por um motorista que atravessou uma manifestação em alta velocidade, na noite desta terça-feira (22), em San Pedro de La Paz, na província de Concepción, no Chile. O país enfrenta uma onda de protestos diários. 

Um vídeo postado no Twitter mostra o momento do atropelamento. 

Os manifestantes realizavam um panelaço por volta das 22h30 (horário local), após o horário determinado pelo toque de recolher, quando foram surpreendidos pelo motorista em alta velocidade. 

Após o atropelamento, o veículo foi cercado pelos manifestantes e destruído, e o motorista foi preso. Os feridos foram socorridos para um hospital da região. 

Veja também: Nas redes, chilenos denunciam abusos da polícia e militares

Segundo a rádio local Bío Bío Chile, uma criança de cinco anos, que estava entre os feridos, morreu no hospital. O segundo óbito, contudo, ainda não foi confirmado oficialmente. 

O governador da província de Concepción, Robert Contreras, lamentou o ocorrido, mas disse que a situação poderia ter sido evitada se os manifestantes tivessem respeitado o toque de recolher, que começa a partir das 18h. 

Onda de protestos

O Chile vive uma onda de protestos desde a semana passada após o governo confirmar o aumento no preço das passagens do metrô em Santiago. Apesar do do recuo do governo e da forte repressão, os manifestantes se recusam a deixar as ruas. 

Além dos protestos, que têm sido reprimidos com violência, a imprensa local tem registrado saques e incêndios. Nas redes sociais, manifestantes passaram a denunciar abusos e arbritariedade por parte das forças de segurança. 

Neste terça-feira, o presidente chileno, Sebastián Piñera, anunciou uma agenda social para promover reformas do sistema previdência, da saúde, do salário mínimo e das tarifas de energia, uma medida que visa atender às demandas feitas pelos manifestantes nos protestos registrados no país nos últimos dias.

Piñera também pediu perdão pela situação econômica e política do país dos últimos anos, focando na volta da normalidade após ter decretado estado de emergência e toques de recolher em quase todas as regiões do território chileno.