Internacional MP da Bolívia acusa Evo Morales de terrorismo e pede prisão preventiva

MP da Bolívia acusa Evo Morales de terrorismo e pede prisão preventiva

O governo boliviano também solicitou que fosse emitido um alerta vermelho pela Interpol contra Evo Morales, mas o pedido foi negado

Evo Morales, ex-presidente da Bolívia, recebeu asilo na Argentina

Evo Morales, ex-presidente da Bolívia, recebeu asilo na Argentina

Agência Brasil

O Ministério Público da Bolívia acusou formalmente nesta segunda-feira (6) o ex-presidente do país, Evo Morales, de crimes de terrorismo e pediu que ele seja preso preventivamente.

Leia mais: Coronavírus: Bolívia abre valas comuns após cemitérios colapsarem

A acusação foi feita pela Comissão de Procuradores Anticorrupção do órgão. Evo Morales está atualmente exilado na Argentina, onde pediu refúgio ao aliado e chefe do governo do país, Alberto Fernández.

O governo boliviano também solicitou que fosse emitido um alerta vermelho pela Interpol contra Evo Morales, mas o pedido foi negado.

De acordo com o jornal El Deber, o Ministério Público acusa o ex-presidente de, em conversa telefônica com o dirigente Faustino Yucra, ter instruído outros dirigentes locais a cometerem atos violentos a partir do dia 10 de novembro de 2019.

Últimas