Internacional Países europeus anunciam o fim da retirada de civis do Afeganistão

Países europeus anunciam o fim da retirada de civis do Afeganistão

Alemanha, Holanda e Bélgica encerraram a saída de seus civis e militares; Itália deve acabar em breve e Espanha continuará no país

Explosões no aeroporto de Cabul aceleraram o processo de retirada de civis e diplomatas do Afeganistão

Explosões no aeroporto de Cabul aceleraram o processo de retirada de civis e diplomatas do Afeganistão

EFE/EPA

As duas explosões que aconteceram nesta quinta-feira (26) em Cabul, no Afeganistão, aceleraram o processo de retirada de civis e de diplomatas estrangeiros do país por parte de militares europeus.

A Alemanha anunciou que concluiu a evacuação de seus soldados e equipe diplomática do Afeganistão. A ministra da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, afirmou que a piora da situação de segurança no aeroporto de Cabul acelerou o fim da evacuação que foi iniciada há 12 dias.

Leia mais: Segundo governo, restam 1,5 mil cidadãos dos EUA no Afeganistão

"Todos os soldados, membros do ministério das Relações Exteriores e da polícia federal que realizaram esta missão até um final seguro para nós, forma retirados de Cabul por avião", informou Annegret Kramp-Karrenbauer em declaração à imprensa.

A Itália concluirá a retirada de civis de Cabul nas próximas horas e já está trabalhando em um plano de curto e médio prazo de apoio ao povo afegão, disse nesta quinta-feira o ministro das Relações Exteriores italiano, Luigi di Maio, após as duas explosões.

"Nas próximas horas as operações de evacuação serão concluídas, agora é necessário desenvolver a 'fase 2', com uma perspectiva de curto e médio prazo, ordenada, estruturada e estratégica", disse Di Maio, ao explicar a situação no Afeganistão durante o Conselho de Ministros presidido por Mario Draghi.

Segundo o chanceler, o seu ministério "está disposto a coordenar a definição de um plano italiano de apoio ao povo afegão", envolvendo todas as administrações dos ministérios em que os trabalhos já começaram, segundo a imprensa italiana.

Leia mais: Talibã testa helicóptero americano deixado pelo exército afegão

O presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, afirmou que seu país trabalha "para evacuar o maior número possível de pessoas", após o atentado duplo que deixou vários mortos e dezenas de feridos na entrada do aeroporto de Cabul.

A mensagem foi divulgada em um post do Twitter e dá a entender que a Espanha continuará realizando as operações de evacuação mesmo após os atentados e que esse processo deve ser acelerado diante dos incidentes.

Já o governo da Bélgica anunciou ainda na quarta-feira (25) que encerrou a retirada de pessoas do aeroporto de Cabul, após consulta a outros países da Europa. A Holanda fez um anúncio semelhante horas antes.

A decisão de dar as atividades por finalizadas foi tomada "em vista da evolução da situação no Afeganistão e de acordo com os outros parceiros europeus", de acordo com nota oficial emitida pelo gabinete do primeiro-ministro, Alexander De Croo.

De acordo com o documento, as repatriações continuarão agora a partir de Islamabad, no Paquistão, que serviu de elo entre o Afeganistão e a Bélgica.

Últimas