Rússia x Ucrânia

Internacional PepsiCo suspende venda de refrigerantes na Rússia

PepsiCo suspende venda de refrigerantes na Rússia

Marca continuará fornecendo alguns produtos que considera essenciais para muitos russos, incluindo alimentos para bebês

Agência EFE
Letreiro da Pepsi em terraço na cidade de Moscou, capital da Rússia

Letreiro da Pepsi em terraço na cidade de Moscou, capital da Rússia

AFP - 2.3.2012

A multinacional americana PepsiCo anunciou nesta terça-feira (8) que suspenderá a venda de Pepsi, 7Up e outros refrigerantes na Rússia, onde também paralisará seus investimentos e publicidade, tudo em resposta à invasão da Ucrânia.

Ao contrário de outras empresas, a PepsiCo não interromperá todas as suas atividades na Rússia e continuará fornecendo alguns produtos, incluindo leite, laticínios e alimentos para bebês, itens que considera essenciais para muitos russos.

A decisão foi anunciada pelo CEO, Ramon Laguarta, em mensagem aos seus funcionários divulgada pela própria empresa.

"Estamos operando na Rússia há mais de 60 anos e temos presença em muitos lares russos. A Pepsi-Cola entrou no mercado no auge da Guerra Fria e ajudou a criar um terreno comum entre os Estados Unidos e a União Soviética", disse Laguarta, que argumentou que a situação não poderia continuar inalterada "dados os eventos horríveis" na Ucrânia.

Segundo detalhou o executivo, as vendas da Pepsi-Cola e de outras marcas globais de refrigerantes, como 7Up e Mirinda, serão suspensas, enquanto os investimentos de capital e todas as atividades de publicidade e promoção na Rússia estão suspensas.

Por outro lado, Laguarta destacou que, como empresa de alimentos e bebidas, a PepsiCo deve "se manter fiel ao aspecto humanitário" de seus negócios e continuar oferecendo outros produtos essenciais na Rússia.

"Ao continuar operando, também continuaremos a apoiar o sustento de nossos 20 mil funcionários russos e 40 mil trabalhadores agrícolas russos em nossa cadeia de suprimentos", acrescentou.

A empresa informou ainda que também suspendeu as operações na Ucrânia para permitir que seus trabalhadores encontrem lugares seguros para si e suas famílias e que está fornecendo ajuda para refugiados que fugiram para países vizinhos.

A decisão da PepsiCo foi divulgada logo após a Coca-Cola anunciar a suspensão de todos os seus negócios na Rússia, que é um dos mercados onde está atrás de sua grande concorrente.

Últimas