Internacional Portugal luta contra três incêndios florestais no centro e norte do país

Portugal luta contra três incêndios florestais no centro e norte do país

Governo declara "estado de contingência" devido às temperaturas elevadas, que podem chegar a 45 graus

  • Internacional | Do R7 com AFP e EFE

Incêndio florestal em Portugal: 1.500 bombeiros lutam para conter as chamas

Incêndio florestal em Portugal: 1.500 bombeiros lutam para conter as chamas

PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP - 10.07.22

Quase 1.500 bombeiros lutam neste domingo (10) em Portugal para controlar três incêndios florestais que devastam há vários dias áreas do centro e do norte de Portugal. O país recebeu a ajuda de dois aviões enviados pela Espanha e se prepara para entrar em risco máximo, o que levou o governo a declarar "estado de contingência" devido às temperaturas elevadas. 

Com temperaturas acima de 40 graus, ventos fortes, noites tropicais e tempestades secas, além dos estragos de uma seca que afeta o país há meses, os bombeiros trabalham para tentar controlar as chamas em vários focos, alguns ativos há três dias, e sem previsão de melhora da situação.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, advertiu neste domingo, após uma reunião com a Proteção Civil para avaliar a situação, que "fatores naturais estão levando a um risco máximo" nos próximos dias.

O chefe de Estado explicou que a situação atual já é "grave", mas que a partir de terça-feira (12) está prevista uma fase ainda mais extrema devido ao agravamento das condições meteorológicas, e que depois desse dia quase todo o território continental português estará em alto risco de incêndio.

Já o ministro do Interior, José Luis Carneiro, destacou que as temperaturas podem chegar aos 45 graus e afirmou que Portugal enfrenta a "pior combinação de fatores" desde os incêndios que afetaram o país entre junho e outubro de 2017, que deixaram mais de cem mortos.

REFORÇO PREVENTIVO

As previsões fizeram soar o alarme em Portugal, que criou um reforço das equipes de prevenção e combate e vai declarar estado de contingência a partir da meia-noite.

Essa medida, o terceiro nível de resposta a catástrofes e que nunca foi utilizada antes para situações relacionadas com incêndios florestais, estará em vigor até sexta-feira e permitirá contratar até cem equipes de reforço, com cerca de 500 bombeiros.

Além disso, foi ativado o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, através do qual a Espanha enviou dois aviões anfíbios pesados para se juntarem aos 60 que já combatem as chamas em Portugal.

Tanto Rebelo de Sousa como o primeiro-ministro, António Costa, cancelaram as suas viagens planejadas para a semana que vem a Nova York e Moçambique, respectivamente, para ficarem no território nacional. "Não é um exagero, há um risco real", disse o presidente.

Incêndios

"O fogo chegou a 50 metros da última casa do vilarejo, lá em cima queimou tudo", declarou à AFP Donzilia Marques, ao apontar para as colinas que ficam entre a sua localidade, Travessa de Almogadel, e o vilarejo de Freixianda, no município de Ourém, centro do país.

A mulher foi retirada da localidade, mas conseguiu voltar para sua casa e constatou que nenhuma residência havia queimado, apesar de o incêndio — que começou na quinta-feira — ter arrasado 1.500 hectares de vegetação.

Um incêndio declarado na sexta-feira (8) devasta uma zona próxima, em Pombal, e mobilizou 450 bombeiros.

Na quinta-feira (7) um incêndio começou em Carrazeda de Ansiães, na região nordeste do país.

Últimas