Internacional Presidente interina da Bolívia pede que todos ministros renunciem

Presidente interina da Bolívia pede que todos ministros renunciem

O comunicado do gabinete presidencial afirma que o objetivo é preencher os cargos novamente para manter a continuidade antes das eleições

Jeanine Áñez anunciou sua candidatura nas eleições de maio

Jeanine Áñez anunciou sua candidatura nas eleições de maio

EFE/ Martín Alipaz

A presidente interina da Bolívia Jeanine Áñez pediu a renúncia de todos os seus ministros para enfrentar um novo "novo estágio de transição democrática", a decisão ocorre após a líder interina anunciar sua candidatura nas próximas eleições em maio.

Bolívia anuncia a suspensão das relações diplomáticas com Cuba

O gabinete presidencial disse, em comunicado oficial, que busca preencher os cargos o mais rápido possível para manter a continuidade antes das eleições, após a eleição de outubro, na qual Evo Morales renunciou.

A ex-senadora conservadora anunciou sua candidatura na última sexta-feira, uma medida que provocou uma reação no país depois que ela descartou a candidatura e disse que seu único objetivo era levar o país a novas eleições transparentes.

A ministra da Comunicação, Roxana Lizárraga, fez duras críticas ao atual governo, afirmando que as medidas de Áñez se assemelham ao MAS (partido de Evo Morales) e renunciou ao cargo. Para ela, os atos de Áñez 'geram um cenário para que possa voltar a ditadura de Evo'.

'Está claro que nosso governo de transição perdeu seus objetivos. Estamos começando a falhar na Revolução das Pititas. Você não pode esconder o fato de que seu governo começou a sofrer os mesmos males do masismismo que combatemos', diz a carta de Roxana.

Últimas