Internacional Site inglês diz que restos de jornalista foram achados em jardim

Site inglês diz que restos de jornalista foram achados em jardim

Segundo a Sky News, fontes da Turquia afirmaram que pedaços do corpo de Jamal Khashoggi foram achados no jardim da casa do cônsul saudita

  • Internacional | Fábio Fleury, do R7

Restos teriam sido achados no jardim da casa do cônsul

Restos teriam sido achados no jardim da casa do cônsul

Murad Sezer / Reuters - 16.10.2018

O site da emissora britânica Sky News afirmou, nesta terça-feira (23), que os restos do corpo do jornalista saudita Jamal Khashoggi teriam sido encontrados em um poço no quintal da casa de Mohammed al-Otaibi, cônsul da Arábia Saudita na Turquia.

A residência de Otaibi fica a cerca de 500 metros do consulado saudita em Istambul. A última vez que Khashoggi foi visto com vida foi em 2 de outubro, quando ele entrou pela porta da frente do consulado.

A imprensa turca e o consulado saudita na Turquia não se manifestaram a respeito.

Segundo a Sky News, além de partes do corpo, o rosto de Khashoggi também estaria "completamente desfigurado", para prejudicar a identificação do corpo.

Política turca

Boatos sobre partes do corpo de Khashoggi no jardim de al-Otaibi começaram a circular na noite de segunda-feira (22), quando Dogu Perincek, líder do partido Vatan deu a informação em uma entrevista no rádio.

Perincek, que é da oposição, afirmou que acreditava que o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, falaria sobre o assunto durante um discurso no parlamento turco nesta terça.

Erdogan, no entanto, apenas classificou o crime como "um assassinato premeditado", mas não mencionou nada sobre os restos mortais de Khashoggi.

Trump defende aliança

Em Washington, o presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a defender uma visão mais cautelosa sobre o caso. "Quero conhecer os fatos primeiro. A Arábia Saudita tem sido um grande aliado", disse ele.

"Eles estão fazendo investimentos de bilhões de dólares, gerando milhares de empregos", justificou-se o presidente.

Ao comentar o crime, ele disse que o assassinato foi a "pior operação de acobertamento da história".

Arte R7

Últimas