Minas Gerais Alto Vera Cruz segue como o bairro com mais mortes pela covid em BH

Alto Vera Cruz segue como o bairro com mais mortes pela covid em BH

Na sequência aparecem os bairros Lindeia e o Cabana do Pai Tomás; Belo Horizonte soma 1.625 óbitos e 53.337 casos confirmados da covid

Alto Vera Cruz lidera o ranking de mortes em BH

Alto Vera Cruz lidera o ranking de mortes em BH

Reprodução / Google Street View

A comunidade do Alto Vera Cruz, na região Leste de Belo Horizonte, é o bairro da capital mineira com o maior número de mortes causadas pela covid-19.

Segundo os dados da prefeitura, o distrito lidera o ranking com 32 óbitos. Na sequência aparece o Lindéia, na região do Barreiro, com 29 mortos e, em terceiro lugar, o bairro Cabana do Pai Tomás, na região Oeste, com 25 óbitos em decorrência do novo coronavírus.

Em relação aos casos confirmados da doença, a liderança também é do Alto Vera Cruz, com 116 testes confirmados. Em segundo lugar aparece o bairro Mantiqueira, na região Norte da capital, com 88 testes positivos. Em terceiro, novamente o bairro Cabana do Pai Tomás, com 82 casos da doença.

Covid-19 em BH

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (25), Belo Horizonte confirmou três óbitos pela covid-19 e 222 confirmações da doença nas últimas 24 horas. Com isso, a capital contabiliza 1.625 mortes pelo novo coronavírus e 53.337 casos confirmados da doença, além de 49.206 curados e 2.506 pessoas em acompanhamento.

Veja: Prefeito diz que BH tem dinheiro para garantir vacina contra covid-19

Os índices de monitoramento da pandemia na capital permaneceram praticamente estáveis. A taxa de transmissão por infectado (ou Rt) se manteve em 1,08, enquanto a ocupação dos hospitais tiveram uma leve variação negativa. A ocupação dos leitos de terapia intensiva caiu um ponto percentual, ficando em 39,4%, enquanto 37,2% dos quartos de enfermaria estão ocupados.

Prefeitura de BH

Em coletiva realizada nesta quarta (25), o prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD), afirmou que “ainda não vai fechar a cidade”, mas disse que pode tomar essa atitude caso a “baderna” continue. Kalil alegou estar preocupado com a alta na taxa de transmissão da pandemia e ameaçou prender pessoas que causarem aglomeração na capital.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli.

Últimas