Minas Gerais Alvo de CPI, ex-presidente da BHTrans é exonerado

Alvo de CPI, ex-presidente da BHTrans é exonerado

Decisão atende pedido do servidor, diz prefeitura; vereador sugeriu prisão do gestor em entrevista à Live RecordTV Minas

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Bouzada teve sigilo quebrado por CPI

Bouzada teve sigilo quebrado por CPI

Reprodução / Record TV Minas

Célio Bouzada, ex-presidente da BHTrans, foi exonerado da empresa que gerencia o transporte de Belo Horizonte nesta sexta-feira (17).

O administrador ocupava o cargo de assessor da presidência desde janeiro deste ano, quando Diogo Prosdocimi assumiu o comando da companhia.

De acordo com o comunicado divulgado pela prefeitura no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (17), a saída do ex-presidente foi a pedido do próprio Bouzada.

O anúncio foi feito um dia após Gabriel Azevedo, presidente da CPI que investiga irregularidades na BHTrans, dizer em entrevista à Live RecordTV Minas que iria pedir a prisão de ao menos três ex-gestores da empresa, caso eles continuassem influenciando em decisões dentro do órgão.

Entre os nomes citados pelo vereador, está o de Célio Bouzada, que presidiu a empresa desde 2017; Daniel Marx Couto, exonerado da diretoria Planejamento e Informação; e Adilson Elpídio Daros, afastado da gerência de Controle, Estudos Tarifários e Tecnologia, mas ainda ligado à BHTrans.

— Eu já falei com o prefeito publicamente que ele tem que agir para retirar estas pessoas de lá. Elas estão atrapalhando a investigação e a administração do presidente Diogo Prosdocimi. Se não acontecer rápido pelo poder Executivo, nós vamos atuar para pedir prisão destes senhores -  disse Gabriel Azevedo.

A reportagem tenta contato com Bouzada e com a BHTrans para comentar sobre as mudanças na empresa.

Bouzada deve prestar depoimento à CPI nos próximos dias. Em julho, a comissão quebrou os sigilos bancário, fiscal e telemático do ex-presidente para apurar possível participação do gestor em "práticas ilícitas", como na "elaboração de documento para subsidiar o adiantamento de passagens" às empresas de ônibus durante a pandemia. O gestor já depôs ao grupo em outra oportunidade e negou irregularidades em sua gestão.

Trocas

A saída de Célio Bouzada não foi a única mudança na BHTrans. O Diário Oficial desta sexta-feira também exonera Sérgio Luís Ribeiro de Carvalho da Gerência de Programação e Redes de Transporte. Ele vai ser substituído por Thiago Henrique de Oliveira Faustino, até então supervisor. O motivo não foi detalhado.

A pedido, Marcelo Fernandes Bernardino, também saiu da assessoria da presidência. Não foram indicados novos nomes para o assessoramento.

Últimas