Minas Gerais BH abre leitos de UTI em janeiro, mas ocupação é 2 vezes maior

BH abre leitos de UTI em janeiro, mas ocupação é 2 vezes maior

Desde o início de janeiro, o número de leitos aumentou 9%, enquanto a quantidade de pessoas internadas subiu 17%

Número de internações em Belo Horizonte aumentou desde o início do mês

Número de internações em Belo Horizonte aumentou desde o início do mês

EFE/Raphael Alves - 14.01.2021

O número de leitos de UTI específicos para tratamento de pacientes com covid-19 em Belo Horizonte passou de 533 para 585 desde o início do mês. O aumento de 9,8% no total de leitos se deve a um esforço de criação de nova vagas no SUS (Sistema Único de Saúde) da capital mineira. No entanto, a ocupação na rede hospitalar, como um todo, aumentou 17,25% no mesmo período. 

Se, no início do mês, o indicador que monitora a ocupação de leitos de UTI já estava na fase vermelha, com ocupação de 80,5%, com esse cenário, a situação é mais grave. Nesta segunda-feira (25), a taxa era de 86%. 

Veja mais: Comerciantes de BH querem pagar por leitos em troca de reabertura

De acordo com números do boletim epidemiológico divulgado pela secretaria municipal de saúde, entre 4 e 25 de janeiro, o número de leitos na rede pública passou de 249 para 303. Dessas 54 vagas criadas, 50 já foram ocupadas por novos pacientes. Hoje, são apenas 58 leitos disponíveis na rede SUS. 

A situação é mais grave na rede particular, para pacientes que têm acesso a planos de saúde. Em 4 de janeiro, eram 284 leitos de UTI para apcientes com covid-19 nos hospitais conveniados. Mas, nesta segunda-feira (25), o total de vagas era de apenas 282 leitos, ou seja, dois a menos que no início do mês. 

No entanto, no mesmo período, a ocupação desses leitos passou de 82% para 91%. Isso significa que, agora, há apenas 24 leitos disponíveis para pacientes que necessitem de internação em terapia intensiva nos hospitais particulares. 

Últimas