Minas Gerais BH teve em janeiro quase o triplo da chuva esperada para todo o mês

BH teve em janeiro quase o triplo da chuva esperada para todo o mês

Primeiro mês de 2020 passou a ser considerado o mais chuvoso da história da capital mineira; último recorde era do mesmo período de 1985

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Fenômeno que trouxe umidade da Amazônia explica temporais na capital mineira

Fenômeno que trouxe umidade da Amazônia explica temporais na capital mineira

Eduardo Barbatti / Record TV Minas

Belo Horizonte fechou janeiro de 2020 registrando quase o triplo do volume de chuva esperado para o mês. De acordo com dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), nos 31 primeiros dias do ano caiu sobre a capital mineira 935,2 milímetros de água, enquanto a média típica para esta época é de 329,1 milímetros.

Três dias antes de chegar ao fim, janeiro de 2020 já havia ganhando o título de mês mais chuvoso da história de BH, desbancando janeiro de 1985. O volume de água que caiu sobre a cidade representa 58% do total esperado para todo ano no município.

Cléber Souza, meteorologista do Inmet, explica que o fenômeno conhecido como Zcas (Zona de Convergência do Atlântico Sul) favoreceu os temporais na região metropolitana.

— As Zcas são frentes frias que passam lentamente pelo Sudeste e puxam para cá a umidade da Amazônia. Isso provoca o aumento das chuvas.

O especialista ainda destaca que o volume de água registrado este ano é ainda mais discrepante se comparado com o mesmo período de 2019, quando choveu apenas 26% do esperado para janeiro.

— Bloqueios atmosféricos impediram a chegada das chuvas no ano passado e desta vez não passamos por isto.

Fevereiro

Segundo o Inmet, os três primeiros dias de fevereiro devem ter pancadas de chuva isoladas, mas sem registrar grandes volumes de água como ocorreu no primeiro mês do ano. Contudo, dados do órgão indicam que a chuva deve voltar a marcar presença em Belo Horizonte ainda na primeira quinzena de fevereiro.

Estragos

Além do recorde histórico, o grande volume de chuva também trouxe problemas para a capital mineira. Durante os temporais, bairros da cidade foram destruídos. A água invadiu ruas, casas e comércios. Barrancos caíram e provocaram a morte de 13 pessoas. 

Veja imagens da destruição provocada pela chuva:

Últimas