Minas Gerais 'Caso Backer': Justiça convoca testemunhas no terceiro dia de audiência nesta quarta (25)

'Caso Backer': Justiça convoca testemunhas no terceiro dia de audiência nesta quarta (25)

Seis testemunhas, dentre elas parentes, vítimas da intoxicação e técnicos que participaram da investigação foram ouvidas na terça 

  • Minas Gerais | Maria Luiza Reis*, Do R7

Vítimas consumiram a
 Belorizontina da cervejaria Backer

Vítimas consumiram a Belorizontina da cervejaria Backer

Digite o autor da foto aqui

Nesta quarta-feira (25), ocorre a terceira e penúltima audiência com as testemunhas de acusação envolvidas no Caso Backer. A audiência vai iniciar às 13h30, no Fórum Lafayette, no bairro Barro Preto, região centro-sul de Belo Horizonte. No segundo dia de audiência, realizado na terça-feira (24), parentes, vítimas de intoxicação e técnicos envolvidos na investigação prestaram depoimentos. Os nomes das testemunhas não foram divulgados pelo Tribunal de Justiça.

O primeiro a ser ouvido foi um engenheiro agrônomo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Ele contou que, assim que foi identificado que a cerveja era o elemento comum nos casos de suspeita de intoxicações, a equipe do Ministério foi até os supermercados para que os produtos fossem recolhidos. Após a primeira morte, a comercialização da cerveja foi suspensa e começaram as investigações para determinar qual seria a causa da contaminação da bebida.

A segunda testemunha, viúva de uma das vítimas, relatou que o marido, juiz do trabalho, tinha costume de consumir cervejas artesanais. Em dezembro de 2019, ele estava de férias e decidiu que iria tomar uma cerveja por dia. A vítima comprou várias caixas da Belorizontina, a qual ele era um entusiasta. A esposa já tinha ouvido falar dos possíveis casos de contaminação na cidade e chegou a avisar o marido, que não acreditou que as cervejas seriam as responsáveis. Em janeiro de 2020, ele começou a passar mal e foi levado para o hospital Madre Teresa, onde um caso semelhante já estava sendo tratado. A equipe médica logo antecipou o tratamento por intoxicação, mas ele não resistiu e faleceu 21 dias depois.

A terceira testemunha ouvida foi uma perita. Ela integrava a equipe responsável por analisar as amostras e foram eles que constataram a contaminação. A perita testemunhou que a equipe foi até a cervejaria para tentarem entender em que etapa, entre a produção e o consumo, teria ocorrido a contaminação.

Uma mulher que perdeu o pai e teve o marido contaminado foi a quarta pessoa a prestar depoimento. Segundo ela, os dois consumiram as bebidas nas festas de fim de ano e o marido foi o primeiro a passar mal. O pai faleceu 14 dias depois dos primeiros sintomas e foi a primeira vítima identificada como vítima da contaminação. O marido ficou internado até março de 2020 e tem sequelas até hoje. A mulher e outra esposa teriam iniciado uma investigação particular ao suspeitarem da cerveja e começaram a alertar os consumidores nas redes sociais.

A quinta testemunha perdeu o pai por complicações da intoxicação. Ele teria tomado uma garrafa no almoço e foi levado para o hospital assim que começou a passar mal. Na época, os médicos já estavam cientes dos casos de contaminação na cidade e iniciaram os protocolos de tratamento, mas ele faleceu.

A última testemunha ouvida na terça-feira (24) também perdeu o pai e se emocionou no depoimento. Ela contou que o pai não tinha costume de consumir a bebida, mas que foi ela que escolheu comprá-la porque estava em promoção. Na véspera do ano novo, o pai achou que estava infartando e foi até o hospital. O problema cardíaco foi descartado pelos médicos. Segundo ela, o pai morreu 15 dias depois sem que os médicos soubessem a razão dos sintomas.

Devido à pandemia de covid-19 e os riscos de contaminação ainda existentes, as testemunhas podem optar por darem seus depoimentos por videoconferência. Nesta quarta, a expectativa é que mais sete testemunhas sejam ouvidas e o Tribunal espera que até quinta-feira (26), 28 testemunhas prestem depoimentos. A data para ouvir as testemunhas da defesa e os réus ainda será marcada.

Veja abaixo o posicionamento da Backer:

"Entre os dias 23 e 26 de maio, ocorrerão audiências de instrução do processo conhecido como Caso Backer. Nas referidas audiências, as testemunhas de acusação farão seus depoimentos. Dentre outros, serão ouvidos vítimas, fiscais e delegados.

Essa será a primeira etapa da coleta de provas. Nenhuma testemunha de defesa ou réus serão ouvidos nesse momento. E não há possibilidade, nessa fase, de conclusão do processo.

“Temos total interesse na apuração dos fatos associados às cervejas produzidas anteriormente à 2020 e, por isso, seguimos contribuindo ativamente com as investigações e com o trabalho dos órgãos de controle e fiscalização”, destaca Munir Lebbos, fundador da Backer."

*estagiária sob supervisão de Flávia Martins y Miguel

Últimas