Minas Gerais Com Rodrigo Pacheco, MG volta a presidir o Senado após 44 anos

Com Rodrigo Pacheco, MG volta a presidir o Senado após 44 anos

Senador derrotou a candidata Simone Tebet (MDB) por 57 votos a 21; Magalhães Pinto (ARENA) foi o último mineiro a ocupar o posto

  • Minas Gerais | Do R7, com Record TV Minas

Pacheco recebeu 57 dos 78 votos possíveis

Pacheco recebeu 57 dos 78 votos possíveis

Reprodução / Redes sociais

A eleição de Rodrigo Pacheco (DEM) para a Presidência do Senado Federal, realizada nesta segunda-feira (1º), representa o retorno de um representante mineiro ao posto máximo da Casa após 44 anos.

O senador Rodrigo Pacheco (DEM), que era considerado o favorito para ganhar a eleição, é o primeiro mineiro na Presidência do Senado desde Magalhães Pinto (Arena), que ocupou a posição entre 1975 e 1977. Pacheco contou com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM) para derrotar a senadora Simone Tebet (MDB) por 57 votos a 21.

Rodrigo Otavio Soares Pacheco nasceu em Porto Velho, em 1976, mas se mudou para Passos, a 352 km de Belo Horizonte, pouco tempo depois. Ele é formado em direito pela Puc (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e foi o mais jovem conselheiro federal da história da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Veja: Fábio Ramalho, tenta se firmar como 3ª via na eleição da Câmara

Entre 2015, foi eleito deputado federal com quase 93 mil votos. Durante o mandato, foi presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados. Em 2016, se candidatou à Prefeitura de Belo Horizonte, mas ficou em terceiro lugar.

Em 2018, foi o candidato ao Senado mais bem votado de Minas Gerais, recebendo mais de 3,5 milhões de votos e derrotando a ex-Presidente da República, Dilma Rousseff (PT). No Senado, atuou como vice-presidente da Comissão de Transparência e Governança, e agora assume a Presidência da Casa.

Últimas