Minas Gerais CPI suspeita de favorecimento na vacinação de servidores em MG

CPI suspeita de favorecimento na vacinação de servidores em MG

Deputados que investigam "fura-filas" indicam que a Secretaria de Saúde usou critérios diferentes para selecionar os funcionários

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Deputados vistoriaram rede de frios

Deputados vistoriaram rede de frios

Divulgação / Luiz Santana / ALMG

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga possível "fura-filas" na vacinação em Minas suspeita que a Secretaria de Estado de Saúde tenha favorecido alguns servidores selecionados para a imunização.

Os deputados que acompanham o caso afirmam que, durante vistoria e entrevistas realizadas nesta quarta-feira (24), o grupo encontrou indícios de que foram adotados critérios diferentes para vacinar os trabalhadores das secretarias regionais de saúde.

Como exemplo, eles citam a explicação apresentada pela subsecretária de Vigilância em Saúde, Janaína Passos, sobre a quantidade de servidores  vacinados.

Segundo a ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais), Janaína contou que foram separadas 250 doses para funcionários da Superintendência Regional de Belo Horizonte enquanto as surintendências do interior foram orientadas a tentar vacinas junto às prefeituras.

Os deputados relataram que a subsecretária alegou que a decisão foi tomada já que a Prefeitura de BH ainda não havia "dado início ao cadastro dos profissionais de saúde, nem se manifestado sobre a vacinação dos trabalhadores da SES".

O processo de organização, segundo Janaína, foi definido durante "uma reunião colegiada, da qual participaram o então secretário de Saúde, o então secretário-adjunto, os subsecretários, o chefe de gabinete e os assessores-chefe da SES".

A reportagem procurou a SES (Secretaria de Saúde de Minas Gerais) para comentar sobre as indicações, mas aguarda retorno.

Últimas