Minas Gerais Deputado confirma depoimento de ameaça do ministro do Turismo

Deputado confirma depoimento de ameaça do ministro do Turismo

Coronel Sandro (PSL) alertou colega de partido Alê Silva sobre suposta ameaça de Marcelo Álvaro Antônio à parlamentar durante uma reunião

Coronel Sandro alertou deputada sobre ameaça

Coronel Sandro alertou deputada sobre ameaça

Divulgação/ALMG/Luiz Santana

Denunciante do suposto esquema de candidaturas laranja do PSL em Minas Gerais, a deputada federal Alê Silva afirmou em depoimento para a Polícia Federal que foi o deputado estadual Coronel Sandro (PSL) quem a alertou sobre a suposta ameaça feita pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL). 

Em entrevista exclusiva para Record TV Minas, o parlamentar confirmou a versão do depoimento da deputada Alê Silva e relatou que ouviu a ameaça do ministro durante uma reunião. 

— O assunto das investigações que estavam em andamento surgiu. Em dado momento, o ministro se mostrou muito incomodado com aquela situação, relatou que estava afetando a família e ele fez uma fala que julguei prudente dar conhecimento à deputada Alê Silva para que ela, se fosse o caso, de acordo com o entendimento dela, tomasse as precauções que ela julgasse que fossem necessárias. 

Na condição de testemunha, Alê Silva foi ouvida duas vezes pela Polícia Federal, em Brasília e Belo Horizonte, e em ambas oportunidades ela confirmou a versão. De acordo com seus depoimentos, ela recebeu uma visita do deputado Coronel Sandro em 1º de abril. Na ocasião, o colega disse ter ouvido do ministro, durante uma reunião, que "ia parar a sua vida para acabar com a vida da deputada Alê". 

- Na fala do ministro ele deu a entender que, na situação que ele estava vivendo, em decorrência da investigação, ele diz que iria parar a vida dele para acabar com ela. Então, essa frase, no contexto em que foi falada, eu fiquei preocupado, até com ele também, pela fala dita. Por isso que eu fui lá conversar com a deputada sobre isso.  

Ainda segundo o depoimento, Alê Silva afirmou que Coronel Sandro disse que estava muito preocupado devido ao tom usado pelo ministro do Turismo, que teria sido "muito agressivo". Ela também confirmou, à Polícia Federal, que foi a autora das denúncias sobre as candidatas laranja e que entregou toda documentação para uma entidade de Coronel Fabriciano que, por sua vez, repassou ao Ministério Público. 

Sobre as candidaturas do PSL, Alê Silva disse que, antes da eleição, esteve com coordenador de campanha, Roberto Soares, e que ele avisou que o partido não iria repassar dinheiro para os candidatos. Robertinho Soares, como é mais conhecido,  foi assessor de gabinete de Marcelo Álvaro Antônio antes de ele assumir o ministério do Turismo.

Laranja

A investigação da Policia Federal mira pelo menos quatro candidatas laranja. Elas receberam verbas significativas do fundo partidário do PSL, mas conquistaram uma votação muito baixa. Parte da verba recebida foi repassada pelas candidatas para empresas de arte e gráfica pertencentes a aliados do ministro.

No início do mês, a Polícia Federal desencadeou a operação "Sufrágio Ostentação" na tentativa de aprofundar as investigações. A sede do PSL em Belo Horizonte foi um dos alvos da operação.

Outro lado

Em nota enviada à reportagem, o ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio disse que não teve acesso ao depoimento e que, portanto, não iria comentar o assunto. Ele diz ainda que "sempre agiu rigorosamente dentro da lei, segue à disposição para prestar todas as informações necessárias e ressalta que, há mais de dois meses, se ofereceu espontaneamente para prestar depoimento às autoridades do caso. Marcelo Álvaro Antônio reafirma sua confiança no trabalho isento, sério e justo das autoridades."

A deputada federal Alê Silva reafirmou o que disse em depoimento. Ela destacou que o deputado Coronel Sandro é seu amigo e aliado político e que ele alertou sobre a ameaça do ministro do Turismo com o objetivo de protegê -la.

Roberto Soares foi procurado, mas não atendeu às ligações.

Veja mais: