Minas Gerais Escavadeira de 22 metros vai “triturar” prédio que tombou MG

Escavadeira de 22 metros vai “triturar” prédio que tombou MG

Prefeitura de Betim, na região metropolitana BH, espera começar a demolição da estrutura ainda nesta quarta-feira (25); serviço vai custar R$ 250 mil

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Duas máquinas vão ser usadas na demolição

Duas máquinas vão ser usadas na demolição

Akemi Duarte / Record TV Minas

Uma escavadeira com 22 metros de altura deve inciar, nesta quarta-feira (25), a demolição do prédio que tombou em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, há sete dias.

O processo vai ser feito de cima para baixo, de forma que o braço da máquina destrua, aos poucos, as paredes de concreto, conforme explica o tenente-coronel Walfrido de Assis Lopes, superintendente da Defesa Civil municipal.

— Na extremidade do braço da máquina teremos uma tesoura que vai triturar o material em partes menores, de forma que cause o menor risco de colapso total da estrutura.

Quando a destruição chegar à metade do edifício de seis andares, uma segunda máquina ajudará a demolir a estrutura. A conclusão do trabalho pode demorar até 24 horas.

Início

Ainda segundo o tenente-coronel Walfrido, os preparativos para o início da demolição já foram feitos. O início dos trabalhos agora só depende da chegada do laudo de vistoria.

— Só falta chegar para mim o laudo pericial, que foi feito ontem e tem 24 horas para ficar pronto. Bem provável que ele fique pronto até às 12h.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros vai ser enviada ao local para acompanhar as atividades e a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) vai desligar o sistema de energia do entorno para evitar riscos de descarga.

A demolição vai ser feita por uma empresa contratada pela Prefeitura de Betim, já que a Justiça não conseguiu notificar oficialmente a construtora dona do prédio. O trabalho deve custar R$ 250 mil, que serão cobrados da empresa, posteriormente.

Walfrido explica, ainda, que os escombros vão ser deixados no local para eventuais perícias que podem ser feitas posteriomente.

— Caso o proprietário queira, ele poderá realizar a perícia de forma indireta, com ensaios de materiais e diversas outras técnicas que a engenharia conhece bem.

Desculpas

A Abrahim Hamza Construções se pronunciou pela primeira vez, na noite desta terça-feira (24). Em nota, a empresa pediu desculpas pelo ocorrido e disse que vai trabalhar para identificar o que provocou a falha na estrutura, que estava em fase final de construção. A construtora não citou possíveis indenizações para os compradores dos apartamentos que foram vendidos por até R$ 280 mil.

Últimas