Minas Gerais Esposa de promotor se engasgou com remédios, afirma advogado

Esposa de promotor se engasgou com remédios, afirma advogado

Defesa do suspeito de matar a companheira alega que marcas em corpo da vítima teriam sido causadas durante socorro médico

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7, com Camila Cambraia, da Record TV Minas

Lorenza e o marido já foram vítimas de ataques

Lorenza e o marido já foram vítimas de ataques

Reprodução / Record TV Minas

O advogado do promotor preso como suspeito de matar a esposa em Belo Horizonte afirmou, nesta segunda-feira (5), que Lorenza Maria Silva de Pinho teria morrido ao engasgar com remédios.

Ainda segundo o advogado Robson Lucas, os supostos hematomas que teriam sido encontrados no corpo da mulher teriam ocorrido enquanto ela era socorrida por médicos no apartamento do casal.

— Houve uma manobra de intubação e isso fez com que alguns sinais no corpo dela ficassem presentes.

O corpo de Lorenza, que já havia sido recolhido por uma funerária contratada pelo marido André Luis Garcia de Pinho, já foi periciado no IML (Instituto Médico Legal) e aguarda autorização dos órgãos de Justiça para ser liberado.

Fontes da investigação informaram à reportagem que o laudo da necropsia apontou que morte de Lorenza, aos 41 anos, na última sexta-feira (2), teria sido causada por violência física. O advogado Robson Lucas nega a versão.

— Nós não temos nenhuma informação sobre qual foi a causa da morte, do que foi efetivamente encontrado no corpo da Lorenza para lastrear de forma tão drástica a liberdade do Doutor André.

Família

Nesta segunda, o pai e a irmã gêmea de Lorenza prestaram depoimento. As investigações estão a cargo do MPMG. O piloto Marco Aurélio, pai de Lorenza, relatou á reportagem que o promotor teria uma relação conturbada com a família da companheira. Os cinco filhos do casal estão sob os cuidados de parentes.

Últimas