Minas Gerais Esquema de exploração sexual em BH pode ter feito mais de 30 vítimas

Esquema de exploração sexual em BH pode ter feito mais de 30 vítimas

Polícia abriu inquérito para investigar esquema de exploração que seria liderado por um influenciador digital e atleta

  • Minas Gerais | Mayara Folco, da Record TV Minas

Reprodução / Record TV Minas

Ao menos mais 20 jovens podem ter sido vítimas de abusos em um esquema de exploração sexual supostamente liderado por um atleta e influenciador digital de Belo Horizonte, Rodrigo Fiuza.

Com os casos que foram relatados a um grupo que acompanha casos de violência sexual, o total de vítimas pode chegar a 33. Treze delas já prestaram depoimento na Polícia Civil.

O esquema foi descoberto em dezembro passado. A suspeita é que uma empresa de fachada do Fiuza seria usada para aliciar meninas de 13 a 15 anos. O local ficou conhecido como casas dos anjos. Investigações mostram que os abusos podem ter começado em segundo endereço, que também pertence ao influenciador.

As investigações apontam que Fiuza organizava festas no local e viagens em iates, onde as jovens eram oferecidas a empresários com quem tinham que ter relações sexuais. O inquérito aponta que uma menina de 13 anos teria engravidado após ser abusada.

A Polícia Civil de Minas Gerais deflagrou a operação "Angel", em 18 de novembro, em meio a uma investigação contra a organização criminosa. Na época, três pessoas, entre elas o influenciador digital, foram presas e sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

Últimas