Feridos em queda de avião em BH seguem internados em estado grave

Acidente ocorrido nesta segunda-feira (21) deixou quatro mortos e dois feridos; piloto teve 98% do corpo queimado e morreu após um dia internado

Queda de avião deixou quatro mortos e dois feridos

Queda de avião deixou quatro mortos e dois feridos

Divulgação / Record TV Minas

O Hospital João 23 divulgou, nesta quinta-feira (24), que seguem internados em estado grave, os dois homens feridos na queda de um avião monomotor, no bairro Caiçara, na região Noroeste de Belo Horizonte. Segundo a unidade de saúde, o quadro dos pacientes é considerado estável.

O acidente aconteceu nesta segunda-feira (21). Thiago Funghi Alberto Torres, de 32 anos, era passageiro do monomotor e teve 55% do corpo queimado. Srrael Campras dos Santos, de 33 anos, é o dono da aeronave acidentada e teve queimaduras em 32% do corpo.

Durante a tarde desta quarta-feira (23) o piloto do avião, Alan Duarte de Jesus Silva, de 29 anos, que caiu no bairro Caiçara, em Belo Horizonte, na manhã da última segunda-feira (21).

Além dos dois feridos, outras quatro pessoas morreram no acidente. Entre elas, o piloto Allan Duarte, que foi enterrado nesta quarta-feira (23), no cemitério Belo Vale, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com Thales Bittecourt, superintendente-técnico da Polícia Civil, Duarte teve 98% do corpo queimado.

— A necropsia não identificou nenhum trauma mecânico que justificasse a morte. A causa do óbito dele foram as queimaduras.

Hugo Fonseca da Silva, de 38 anos, e o pedreiro Pedro Antônio Barbosa, de 54 anos, foram enterradas na última terça-feira (23).

O corpo da quarta vítima, Paulo Jorge de Almeida, de 61 anos, ainda não foi identificado oficialmente e continua no IML (Instituto Médico Legal). Para João Lacerda Santiago, irmão da vítima, a o órgão está demorando muito para liberar o corpo.

— O IML nos disse que só poderá liberar o corpo do meu irmão daqui a 90 dias. Todas as outras vítimas já foram reconhecidas e enterradas. Nós temos certeza que é ele. A mídia mostrou a foto da carteira de habilitação que estava com ele.

Segundo a Polícia Civil, o estado de carbonização do corpo dificulta os trabalhos dos peritos. Bittecourt explica que exames de identificação como o da arcada dentária estão inviáveis, já que face da vítima foi a mais afetada pelas chamas. 

— Foi um corpo totalmente carbonizado, inclusive na região cefálica. Por isso, o material coletado foi encaminhado para o Instituto de Criminalística da Polícia Civil para a análise de DNA.

Aeroporto Carlos Prates

A aeronave modelo SR20 decolou, na manhã da última segunda-feira (21), do Aeroporto Carlos Prates, no bairro de mesmo nome, na região Noroeste de Belo Horizonte. Em 74 anos de funcionamento da unidade, dez pessoas já morreram em acidentes com aviões que decolaram da pista.

As associações de moradores dos bairros próximos ao campo de aviação têm questionado a permanência do aeroporto próximo à uma área residencial, mesmo o local tendo autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para operar. Segundo o órgão, não há irregularidades na documentação da unidade.

Nesta quinta-feira (24), o MPF (Ministério Público Federal) deu 15 dias para que a agência se reúna com a população e órgãos públicos para conversar sobre o futuro do aeroporto.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento