Minas Gerais "Fizeram fortuna explorando o povo", diz Kalil sobre empresários

"Fizeram fortuna explorando o povo", diz Kalil sobre empresários

Em coletiva de imprensa, prefeito de Belo Horizonte partiu para cima de empresários que, segundo ele, pressionam para rejeição do Plano Diretor

Kalil defendeu aprovação do Plano Diretor

Kalil defendeu aprovação do Plano Diretor

Divulgação/PBH/Rodrigo Clemente

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) criticou empresários que, segundo ele, têm pressionado a Câmara Municipal para não aprovar o projeto do Plano Diretor, que está em tramitação há mais de quatro anos no Legislativo. A proposta é que vai ditar o planejamento urbano da capital mineira para os próximos anos. 

"A Prefeitura de Belo Horizonte e a Câmara Municipal não estão à venda. Não adianta o sindicato dos poderosos, dos grandes empresários, arrecadarem dinheiro para minar quem está trabalhando para a cidade, que são os vereadores", criticou Kalil durante entrevista coletiva nesta terça-feira (21). Segundo o prefeito, a proposta conta com apoio de 33 dos 41 parlamentares da Casa. 

A polêmica na aprovação do Plano Diretor, que deve ir a plenário no mês que vem, gira em torno da chamada Outorga Onerosa do Direito de Construir, que é uma espécie de taxa que será cobrada nos casos de construção de grandes empreendimentos, que trazem maior impacto ao município.

De acordo com a prefeitura, a arrecadação com essa taxa seria revertida para projetos de habitação social e melhorias na infraestrutura urbana. 

"Quer dizer que, agora, os grandes empresários estão preocupados com a periferia, com os bairros pobres de Belo Horizonte, com os cristãos? Eles, agora, são os defensores dos pobres? Quero avisar a esse pessoal que o Brasil mudou, que o dinheiro deles não vai corromper ninguém. Milionário e bilionário nunca preocupou com vocês não. Eles estão preocupados com prédios de alto luxo, concentrados na região Centro-Sul, para entupir as ruas de Belo Horizonte. Imposto, eles sabem, são inteligentes, fizeram fortunas explorando o povo de Belo Horizonte, entupindo as ruas de Belo Horizonte. Chega de mentira e de covardia", atacou o prefeito.

Estádio

O prefeito Alexandre Kalil também comentou a situação da construção do novo estádio do Atlético, no bairro Califórnia. O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) pediu à Justiça a suspensão da licença devido a "riscos ambientais" à presença de vegetação remanescente de Mata Atlântica, nascentes e animais sob risco de extinção. 

De acordo com Kalil, a prefeitura vai cumprir a determinação da Justiça. 

- Recebemos um decreto do Governo do Estado dando a licença ambiental e demos encaminhamento. A Prefeitura de BH colocou 46 condições para se fazer o campo. A única coisa que foi dada e deliberada, não pelo prefeito, mas pelo Comam (Conselho Municipal do Meio Ambiental), que é o órgão deliberativo, é que se possa cercar o terreno e continuar os estudos. Se o MP pedir interdição da obra e a Justiça mandar parar, vamos parar, vamos obedecer. Aqui, ninguém vai fazer nada de errado nem para Atlético, nem para América. Cruzeiro, nem pensar, né? Não vamos fazer nada de errado para ninguém. 

Últimas