Minas Gerais Governo de MG publica exoneração de secretário e número 2 da Saúde

Governo de MG publica exoneração de secretário e número 2 da Saúde

Afastamento dos principais coordenadores da pasta aconteceu após denúncias de 'fura-filas' na vacinação de servidores

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Ex-secretário nega irregularidades na vacinação

Ex-secretário nega irregularidades na vacinação

Divulgação / Governo de Minas

O médico Carlos Eduardo Amaral e o procurador Marcelo Cabral estão oficialmente exonerados dos cargos de secretário e adjunto de Saúde do Governo de Minas.

A demissão dos coordenadores da pasta, assinada pelo governador Romeu Zema (NOVO), foi publicada no Diário Oficial do Estado, neste sábado (13).

O documento também libera o médico Fábio Baccheretti da presidência da Fhemig (Fundação Hospitar de Minas Gerais) e o confirma como o novo secretário de Saúde. O cargo de secretário adjunto, até então ocuado por Cabral, segue sem ser preenchido.

O afastamento aconteceu em função de um desgate dentro do governo após a divulgação de denúncias sobre possível vacinação de servidores da Saúde que não seriam dos grupos prioritários. O caso foi relevado pelo R7 na última segunda-feira (8).

A situação colocou o governo na mira de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais). O Ministério Público Estadual também investiga o caso.

Durante a semana, Amaral, que também recebeu as doses, negou as irregularidades. Segundo ele, os vacinados são funcionários que atuam diretamente nas ações de combate à covid-19 ou que precisam realizar atividades de campo. Uma lista entregue por ele à ALMG aponta 828 trabalhadores da pasta imunizados.

Últimas