Julgamento de suspeitos de matar fisiculturista em BH entra no 2º dia

Advogado de defesa passou mal durante sessão de segunda (24) e acabou sendo internado por conta de uma crise renal; crime aconteceu em 2017

O julgamento de dois dos quatro acusados de matarem o estudante de educação física e fisiculturista Allan Guimarães Pontelo, em setembro de 2017, foi retomado na tarde desta terça-feira (25).

Mais cedo, o segundo dia de sessões chegou a ser interrompido depois que o advogado de defesa Ércio Quaresma teve uma crise renal. 

Veja: Acusados de matar fisiculturista em boate de BH vão a júri popular

O advogado foi medicado e, a sessão, remarcada para a parte da tarde. Por conta dos protocolos de segurança referentes a covid-19, apenas cinco pessoas podem acompanhar o julgamento, que não tem presença de jornalistas.

No primeiro dia de julgamento, foram ouvidas oito testemunhas de defesa. A expectativa é de que os réus deponham nesta terça-feira (25) e, na sequência, recebam a sentença do juiz.

Jovem foi espancado e asfixiado até morrer em boate de BH

Jovem foi espancado e asfixiado até morrer em boate de BH

Reprodução / Arquivo Pessoal

Relembre o crime

No dia 2 de setembro de 2017, Allan Guimarães Pontelo foi morto dentro da boate Hangar 677, no bairro Olhos D’Água, em Belo Horizonte. O fisiculturista foi abordado por seguranças após uma denúncia de que o jovem estaria traficando drogas.

A vítima foi encaminhada a uma área isolada e, após se recusar a ser revistada, foi espancada até a morte. Segundo o laudo da necropsia, o fisiculturista morreu por asfixia mecânica.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli