Minas Gerais Justiça deve terminar de ouvir as 28 testemunhas no último dia de audiências do Caso Backer

Justiça deve terminar de ouvir as 28 testemunhas no último dia de audiências do Caso Backer

Familiares falaram sobre estado de saúde das vítimas em depoimentos, na última quarta-feira (25)

  • Minas Gerais | Maria Luiza Reis*, Do R7

Depoimentos são marcados por relatos de perdas

Depoimentos são marcados por relatos de perdas

Reprodução / Instagram

Acontece nesta quinta-feira (26) o último dia de audiência com as testemunhas de acusação do Caso Backer. As audiências acontecem desde o início desta semana, no Fórum Lafayette, no bairro Barro Preto, região centro-sul de Belo Horizonte. Desde a última segunda-feira (23), testemunhas e vítimas têm dado seus depoimentos sobre o caso.

Nesta quarta-feira (25), testemunhas narraram as sequelas graves que as vítimas enfrentam depois de beber a cerveja contaminada da marca em 2019. Parentes de pessoas que morreram por complicações da intoxicação relataram que vivem a angústia de ter acompanhado todo o drama até descobrir as causas do quadro clínico que resultou em insuficiência renal, cegueira e paralisia. Até a manhã desta quinta, 19 pessoas foram ouvidas pela Justiça.  

Os nomes dos depoentes não foram divulgados pelo Tribunal de Justiça. A primeira testemunha ouvida foi a mulher de uma das vítimas. O marido dela ficou com graves sequelas depois de consumir a cerveja contaminada. Ficou cego, precisou usar cadeira de rodas e hoje está em recuperação. Ela contou que os valores de indenização pagos pela Backer não cobrem todo o custo e que a situação acabou afetando toda família, ela teve que abandonar o trabalho.

A segunda testemunha perdeu a madrasta. A enteada relatou em depoimento que vive com a sensação de culpa por ter oferecido a bebida que matou a mulher. A vítima teve insuficiência renal aguda e apresentou confusão mental. 

A terceira vítima ouvida perdeu o pai, que bebeu a cerveja contaminada numa festa de Ano Novo. Segundo a filha, o pai era saudável, mas também sofreu de insuficiência renal e não resistiu. 

A quarta testemunha foi a mulher de um homem que morreu em março de 2020. O marido comprou seis cervejas da marca, que estava em promoção naquele mês. Ele sofreu um infarto, desenvolveu insuficiência renal e não resistiu, deixando uma filha de 10 anos na época. A mulher que era casada com a vítima há 20 anos se emocionou durante o depoimento e lembra do falecimento como o pior dia da sua vida. 

A quinta testemunha é amigo de uma vítima. Os dois andavam de bicicleta juntos e ele contou que o amigo era desportista e hoje tem problema de locomoção como sequela da intoxicação. 

A sexta testemunha foi a filha de uma vítima que morreu depois de enfrentar hemodiálise, paralisia facial e problemas na visão. A sétima e última testemunha foi o irmão de uma vítima que seria a primeira do Caso Backer. Segundo ele, o irmão sobreviveu, mas tem várias sequelas: teve que reaprender a falar, perdeu 90cm de intestino, anda devagar, perdeu 60% audição e não consegue trabalhar.

A expectativa é que nesta quinta-feira, a Justiça termine de colher os depoimentos das 28 vítimas de acusação. Os depoimentos estão sendo colhidos após dois anos e quatro meses desde as intoxicações e mortes causadas por cerveja da marca. Ainda não há data para o julgamento final, já que o juiz pode pedir novos documentos e provas sobre os crimes. Ao todo, 11 pessoas viraram réus no processo referente à contaminação de cervejas da marca mineira. 

*Estagiária sob supervisão de Daniela Fernandes

Últimas