Minas Gerais Justiça manda Vale adotar medidas de segurança para trabalhadores

Justiça manda Vale adotar medidas de segurança para trabalhadores

Decisão é referente aos funcionários de três barragens em Ouro Preto (MG) que estão em estado de alerta; multa por descumprimento é de R$ 3 milhões

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Medidas valem para barragens que ficam em Ouro Preto

Medidas valem para barragens que ficam em Ouro Preto

Divulgação / CMBH

O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais determinou que a mineradora Vale retome uma série de medidas de segurança para os funcionários das barragens da Mina de Fábrica, em Ouro Preto, a 96 km de Belo Horizonte, que estão em nível 2 e 3 de alerta.

O despacho do juiz Henrique Macedo de Oliveira prevê que a mineradora não poderá realizar “inspeção,  monitoramento, manutenção e correção de anomalias nas barragens de Forquilhas I, II e IV” sem uso de helicóptero ou outras medidas de proteção para os trabalhadores, quando o serviço for realizado nas áreas chamadas de autossalvamento, que são aquelas atingidas primeiro em caso de um possível rompimento.

A decisão atende a um pedido do Ministério Público do Trabalho, que alegou que a companhia deixou de fazer o uso da aeronave após o nível de alerta de uma das barragens reduzir de dois para três.

Segundo o juiz, as medidas de proteção adotadas deverão ser aquelas indicadas pela empresa de consultoria externa contratada para monitorar o trabalho da mineradora nas ações de reparo nas barragens.

“Ressalto que a valorização do trabalho humano passa, precipuamente, pelo respeito à dignidade. Para que se alcance tá ldesiderato no âmbito das relações de trabalho - partindo-se de uma concepção  horizontalizada dos direitos fundamentais - é necessário, além de outras atuações positivas, que o empregadortome todas as providências cabíveis para reduzir os riscos inerentes ao trabalho”, destacou o juiz no despacho.

Em caso de descumprimento, a Vale está sujeita a uma multa diária de R$ 3 milhões diários por trabalhador afetado. Procurada, a mineradora afirmou que "não tem medido esforços para garantir a segurança dos trabalhadores que atuam no monitoramento e manutenção das suas estruturas geotécnicas".

Últimas