Minas Gerais MG anuncia aulas presenciais em cidades na "onda vermelha"

MG anuncia aulas presenciais em cidades na "onda vermelha"

Com a mudança, 800 municípios mineiros estão aptos a retomar atividades presenciais, mas decisão final é da prefeitura

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Aulas poderão ser retomadas em parte do Estado

Aulas poderão ser retomadas em parte do Estado

Pixabay/Reprodução

O Governo de Minas Gerais vai ampliar a possibilidade de retorno às aulas presenciais também nas escolas estaduais localizadas em municípios classificados na "onda vermelha" do programa Minas Consciente.

De acordo com a secretária de Estado de Educação, Júlia Sant'Anna, neste caso, os professores voltam ao trabalho entre os dias 5 e 9 de julho e as escolas podem receber os alunos a partir de 12 de julho.

Apenas as cidades que estão com situação de onda vermelha desfavorável não poderão retomar as aulas. Atualmente, estão classificados neste nível os 53 municípios da região Leste do Sul. Assim, 800 municípios estão aptos a retormas as atividades presenciais.

Nas cidades na onda vermelha, entre elas Belo Horizonte, poderão ser tomadas as aulas para os alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. Já os municípios nas ondas amarela e verde também poderão ampliar as aulas para alunos 9º ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio.

Prefeituras

A retomada das atividades presenciais depende da autorização das prefeituras. Os prefeitos que não forem autorizar o retorno das aulas deverão publicar um decreto restringindo as atividades.

A Secretaria de Estado de Educação irá publicar, diariamente, uma lista atualizada com as instituições de ensino que estiverem promovendo aulas presenciais.

Até então, apenas prefeituras de cidades nas ondas "verde" e "amarela" podiam autorizar a reabertura das escolas. A "onda vermelha" é a segunda fase mais grave com relação às restrições em Minas Gerais e limita número de pessoas que podem entrar em estabelecimentos comerciais, por exemplo.

Em 25 de junho, o Coes (Centro de Operações de Emergência de Saúde) autorizou a ampliação das atividades nas instituiçõe de ensino. No entanto, o Coes ressaltou que essa permissão não poderia valer para as regiões macrorregiões que se encontram em "cenário desfavorável". Atualmente, somente a região Leste do Sul está nessa categoria. 

Volta às aulas

Até o momento, 160 escolas da rede estadual de Minas Gerais foram autorizadas a retomar os trabalhos presenciais. Setenta e nove delas voltaram no dia 28 de junho e as demais 81 reabriram as portas na semana passada. Todas elas pertencem a municípios localizados em microrregiões que estão nas ondas "verde" ou "amarela". 

Nesta semana, professores de 28 escolas também foram convocados para dar início aos trabalhos presenciais. 

O retorno às atividades presenciais é feita de forma gradual e é facultativa. Ou seja, as famílias de alunos do 1º ao 5º ano que não quiserem enviar os filhos para a sala de aula, podem optar por deixá-los em casa. Eles serão acompanhados de modo remoto, como garante a secretaria.

Regras

De acordo com a secretária Júlia Sant'Anna, 532 municípios na "onda vermelha" que não estão em "cenário desfavorável" poderão autorizar o retorno às aulas presenciais a partir da próxima semana, desde que as prefeituras não publiquem decretos restritivos.  

Confira o calendário: 

- 5 a 9 de julho: convocação de professores para ações de acolhida e formação
- a partir do dia 12 de julho: início das aulas 

Últimas