Minas Gerais MG: CPI coloca sigilo de 100 anos em lista de servidores vacinados

MG: CPI coloca sigilo de 100 anos em lista de servidores vacinados

Deputados investigam possível fraude na imunização de funcionários da Secretaria de Estado de Saúde

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Deputados investigam 'fura-filas'

Deputados investigam 'fura-filas'

Divulgação / ALMG / Bernardo Esteves

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos 'fura-filas' colocou um sigilo de 100 anos sobre a lista com os nomes dos servidores da Saúde vacinados contra a covid-19 no Estado.

Os documentos, já amplamente divulgados, contêm os nomes e o setor de atuação de mais de 1.800 funcionários. A CPI investiga se alguns deles foram beneficiados ao serem imunizados. O Governo Estadual nega as irregularidades.

O requerimento aprovado pelos deputados que fazem parte da comissão prevê "restrição de acesso pelo prazo de 100 anos". O deputado Noraldino Júnior, membro da CPI, avaliou à reportagem que a decisão vai evitar que o servidor vacinado dentro das leis sejam penalizado por uma erro cometido por outros.

— Se surgir uma nova lista fura, vai evitar que estas pessoas sejam expostas até que o processo de investigação seja concluído.

Requerimentos

Durante a reunião da CPI nesta quarta-feira (25), outros requerimentos foram aprovados.

Em um deles, os deputados pedem à Secretaria Estadual de Saúde a quantidade exata de vacinadas aplicadas. Em um segundo, o grupo solicita ao MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) cópia dos documentos colhidos pelo órgão na inestigação sobre o caso.

Em um terceiro requerimento, os deputados decidiram solicitar à Secretaria de Saúde o valor que foi investido, bem como a quantidade de medicamentos comprados para os chamados tratamentos precoces da covid-19. Este último documento tem relação à parte da CPI que investiga os investimentos feitos pelo Estado no combate à pandemia.

Últimas