Minas Gerais Minas desperdiçou mais de 11 mil doses de vacinas contra a covid-19

Minas desperdiçou mais de 11 mil doses de vacinas contra a covid-19

Quinze cidades  descartaram doses por problemas de refrigeração e chuvas; doses poderiam imunizar cidade de até 5.500 pessoas

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7, com Maria Luiza Reis, da RecordTV Minas

Chuva também provocou perda de vacinas

Chuva também provocou perda de vacinas

Reprodução

Prefeituras de 15 municípios mineiros precisaram descartar mais de 11 mil doses de vacinas contra a covid-19 desde janeiro, quando os imunizantes começaram a chegar ao Estado. De acordo com a SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) a perda de doses se deu, principalmente, por falhas nos equipamentos de refrigeração

As 11.764 que tiveram que ser jogadas no lixo - já que perderam sua eficácia - seriam suficientes para imunizar totalmente uma ou mais cidades das mais de 300 em Minas Gerais cuja população não chega a 5.500 pessoas. 

A menor cidade do Estado, por exemplo, Serra da Saudade, a 230 km de Belo Horizonte, poderia ter imunizado totalmente os seus 776 moradores por 7,5 vezes, levando em conta as duas doses necessárias para imunização completa. Até o momento, de acordo com o Vacinômetro do Governo de Minas, o município aplicou somente 597 doses - sendo 390 como primeira dose e 207 como segunda. 

A perda de doses, no entanto, representa apenas 0,1% do total de imunizantes encaminhados pelo Ministério da Saúde ao Governo de Minas e, posteriormente, aos municípios. Desde janeiro, chegaram ao Estado 11,5 milhões de doses, das quais 6,5 milhões foram aplicadas em primeira dose e 2,6 milhões como dose de reforço. 

Todas as doses perdidas foram repostas por meio da reserva técnica. Isso porque, do total de vacinas que chega ao Estado, 5% deve ser guardada para suprir situações como essas. 

Perda de doses

O primeiro caso de doses de vacinas desperdiçadas em Minas Gerais foi em Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte. O município perdeu 229 doses da vacina Coronavac/Butantan em fevereiro deste ano devido a um problema no equipamento de refrigeração. Além da vacina contra a covid-19, também havia outros 6.397 imunizantes para doenças como febre amarela, HPV, hepatites A e B e antirrábica.  

Na cidade de Presidente Olegário, a 430 km de Belo Horizonte, foram 1.047 doses perdidas após uma queda de energia causado por um problema na linha de distribuição da cidade. 

Mas não foram só problemas de refrigeração que causaram a perda de doses de imunizantes. Em Santa Maria de Itabira, a 150 km de Belo Horizonte, a situação foi causada pelas chuvas que atingiram fortemente a cidade no início do ano.  

Últimas