Minas Gerais Moradores fazem mais um protesto contra a Vale em Brumadinho (MG)

Moradores fazem mais um protesto contra a Vale em Brumadinho (MG)

Manifestantes reivindicam a manutenção do pagamento emergencial da mineradora em razão do rompimento da barragem em janeiro de 2019 

  • Minas Gerais | Caio Silva*, do R7, com Record TV Minas

Ao menos 30 moradores participaram do ato

Ao menos 30 moradores participaram do ato

Fábio de Oliveira/Arquivo Pessoal

Moradores do bairro Dom Bosco, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, realizam um protesto, na nesta quarta-feira (21), contra a mineradora Vale.

Segundo Fábio de Oliveira, cerca de 30 pessoas participam do ato. A reivindicação, segundo ele, é para que seja mantido o pagamento emergencial da mineradora até que haja a definição da indenização para cada morador, referente ao rompimento da barragem na mina do Córrego do Feijão, em 25 de janeiro de 2019, que deixou 259 mortos e 11 desaparecidos.

Oliviveira ainda critica a postura da Vale. Segundo ele, os moradores continuam desamparados e "esquecidos" pela empresa.

— A Vale divulga as ações na imprensa como se fosse a melhor empresa do mundo, mas a realidade é bem diferente. 

Os moradores utilizaram galhos de árvores e faixas para bloquear uma das ruas que cortam o bairro. 

Outro lado

A Vale informou, por meio de nota, que "continua atuando na reparação de todos os danos causados pelo rompimento da barragem de Brumadinho, e entende que a indenização dos danos individuais aos atingidos é a medida mais adequada para tanto".

A empresa ainda afirmou que "está comprometida em indenizar as pessoas de forma justa e, portanto, faz o pagamento emergencial mensal a mais de 106 mil moradores de Brumadinho e regiões localizadas até 1 km do leito do rio Paraopeba até a cidade de Pompéu, para que possam ter segurança financeira para negociar as indenizações individuais com tranquilidade."

Tragédia Brumadinho

A tragédia da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, aconteceu no dia 25 de janeiro de 2019. O rompimento deixou 259 pessoas mortas e 11 ainda seguem desaparecidas.

No último dia 15 de outubro, a mineradora Vale descobriu duas novas trincas na estrutura que sobrou da barragem B1. A descoberta das rachaduras fez com que ao menos 60 moradores do bairro Parque da Cachoeira, também em Brumadinho, realizassem um protesto pedindo um posicionamento da empresa sobre o assunto. 

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Nascimento 

Últimas