Minas Gerais MP denuncia ex-secretário por assassinato de candidato em Minas

MP denuncia ex-secretário por assassinato de candidato em Minas

Órgão pediu a condenação de Jorge Marra (DEM) por homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo; suspeito é irmão do prefeito de Patrocínio

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

O Ministério Público de Minas Gerais enviou à Justiça, nesta quarta-feira (14), denúncia contra o ex-secretário de Obras de Patrocínio, a 320 km de Belo Horizonte, pelo assassinato do então pré-candidato a vereador da cidade, Cássio Remis (PSDB).

Na denúncia, o MP pede que Jorge Marra (DEM) seja condenado por homicídio qualificado por motivo torpe e mediante dissimulação e recurso que dificultou a defesa da vítima, além de porte ilegal de arma de fogo e munições.

Secretário interrompeu live da vítima antes do crime

Secretário interrompeu live da vítima antes do crime

Reprodução/Redes sociais

Os crimes indicados estavam no relatório final das investigações da Polícia Civil, entregue na última semana. A delegada Ana Beatriz de Oliveira Brugnara, responsável pelo caso, concluiu que o suspeito não teria matado Remis para evitar um possível embate político. Segundo a investigadora, a morte foi motivada por desentendimentos "fúteis" entre os envolvidos.

Leia mais: Preso por matar candidato já foi condenado por crime ambiental

O MP também denunciou outras duas pessoas, não identificadas, pelo crime de favorecimento pessoal. Conforme apurado pela reportagem, uma delas é o motorista que dirigia a caminhonete que levou Marra até a vítima. As investigações apontam que ele não tem envolvimento com o assassinato.

Por fim, os promotores pediram à Justiça para quebrar o segredo judicial do caso “ tendo em vista a repercussão internacional do fato e o direito constitucional à informação”. Agora, para que Marra seja considerado réu, o Judiciário precisa aceitar a denúncia.

Procurado pela reportagem, o advogado Marcelo Leonardo, que defende Marra, disse que não iria comentar a denúncia, já que ainda não teve acesso ao documento. O advogado avaliou, no entato, que o procedimento seguiu um "caminho natural” do processo.

O crime

Cássio Remis foi assassinado pouco depois de realizar uma live denunciando que uma obra da Prefeitura de Patrocínio que supostamente iria beneficiar o gabinete de campanha do candidato à reeição, Deiró Marra (DEM).

O vídeo é interrompido por Jorge Marra, irmão do prefeito e então secretário de Obras. Segundo a polícia, Marra tomou o telefone do pré-candidato e foi para a secretaria.

Remis teria ido atrás do secretário para reaver o aparelho. Na porta da Secretaria de Obras, ele se encontra com Marra. Os dois discutem até que o suspeito pega uma arma na caminhonete e atira contra a vítima. Um circuito de segurança flagrou a cena. O suspeito foi preso três dias depois e segue em um presídio da região.

Remis foi vereador de Patrocínio entre os anos de 2009 e 2016. Neste período, o político chegou a presidir a Câmara Municipal.

Últimas