Minas Gerais Ocupação de UTIs para covid-19 em BH chega ao maior nível em 2 meses

Ocupação de UTIs para covid-19 em BH chega ao maior nível em 2 meses

Taxa de ocupação dos leitos intensivos chegou a 40,4%, maior valor desde 28 de setembro; prefeito Kalil (PSD) e especialistas farão coletiva na quarta (25)

Ocupação de leitos continua subindo em BH

Ocupação de leitos continua subindo em BH

Reprodução / Pixabay

A ocupação dos leitos de terapia intensiva destinados a pacientes com covid-19 em Belo Horizonte alcançou, nesta terça-feira (24), o maior patamar dos últimos dois meses.

De acordo com os dados da Prefeitura de BH, 40,4% dos leitos de UTI da capital estão ocupados atualmente, o que ainda coloca este indicador na fase "verde". No entanto, o índice não estava acima dos 40% desde o dia 28 de setembro, quando atingiu 42%. BH tem, atualmente, cerca de 442 quartos hospitalares deste tipo vazios.

Covid-19 em BH

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, nas últimas 24 horas, oito mortes e 245 testes positivos para o novo coronavírus. Com isso, a capital mineira contabiliza 1.622 óbitos pela covid-19 e 53.115 casos da doença, além de 48.994 curados e 2.499 pacientes em acompanhamento.

Nesta semana, o boletim passou a trazer o número de novos casos da doença por 100 mil habitantes. Esse índice é o que irá determinar novas flexibilizações na cidade, principalmente a retomada das aulas presenciais. Na segunda, foram registrados 91 casos por 100 mil habitantes em BH. Para que as aulas sejam retomadas, a capital deve registrar 20 casos por 100 mil pessoas durante 14 dias seguidos.

Índices de monitoramento

Assim como nos últimos boletins, a ocupação dos leitos de enfermaria continua subindo junto com a dos leitos de terapia intensiva. Nas últimas 24 horas, essa taxa passou de 37,1% para 38,1%. Uma semana atrás, esse índice estava abaixo de 31%.

A taxa de transmissão da covid-19 teve uma variação negativa mínima, passando de 1,09 para 1,08, permanecendo na “fase de alerta”.  O índice, também conhecido como Rt, determina se a pandemia está se expandindo ou retraindo na cidade. No dia 13 de novembro, a taxa alcançou o maior patamar desde o dia 5 de agosto, ficando em 1,08. O recorde histórico em BH é do dia 29 de maio, quando o Rt estava em 1,24.

Coletiva na PBH

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) e o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 irão conceder, nesta quarta (24), uma entrevista coletiva para falar sobre o aumento da transmissão do novo coronavírus na capital. Não se sabe se a prefeitura pretende fazer alguma alteração nas flexibilizações do comércio em BH.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli.

Últimas