Minas Gerais Policial conta detalhes do resgate de mulher baleada pelo ex em BH

Policial conta detalhes do resgate de mulher baleada pelo ex em BH

Homem entrou na clínica que ela trabalhava, na região Centro-Sul de BH, e atirou na testa da vítima; depois, o suspeito se matou também com um tiro

A mulher que foi baleada pelo ex-companheiro dentro de um clínica em Belo Horizonte na última quinta (27) continua internada no Hospital João 23, que fica no bairro Santa Efigênia, na região Leste da capital.

Ana Clara Pereira Dias, de 30 anos, foi resgatada minutos após receber o tiro, que atingiu a testa da vítima. O sargento Euler Souto, do Rocca (Rondas Ostensivas Com Cães) conta que a equipe fazia uma patrulha pela região quando ouviu as informações sobre o caso pelo circuito de rádio da Polícia Militar.

— A gente chegou no local e achou o homem sem vida e a mulher ainda respirando. Os primeiros socorros foram feitos por um tenente do Exército que também é médico.

Logo que o médico constatou que Ana Clara ainda tinha sinais vitais, os policiais  se mobilizaram para colocar a vítima na viatura e levá-la ao pronto socorro. Ela foi colocada no banco de trás do carro. Durante o trajeto, um militar segurou a cabeça da mulher para que não houvesse impactos que causassem ainda mais danos na vítima.

Veja: Vídeo mostra homem atirando na ex-companheira em clínica de BH

Imagem mostra suspeito apontando arma para mulher

Imagem mostra suspeito apontando arma para mulher

Reprodução / Record TV Minas

Entre a chegada dos militares no local do crime até a entrada no Hospital João 23, foram gastos 14 minutos. Segundo o sargento Souto, o pouco tempo gasto foi determinante para que a vítima não morresse.

— Mais alguns minutos e ela não iria resistir, poderia até ter chegado morta ao hospital. Com certeza é um caso que vai nos marcar.

Tentativa de feminicídio

Na tarde de quinta-feira (26), um homem de 28 anos entrou em uma clínica de fisioterapia na região Centro-Sul de Belo Horizonte e tentou matar a ex-companheira. Ele deu um tiro na testa da vítima e, na sequência, se matou, atirando na própria cabeça.

Segundo a Polícia Militar, o casal tinha um histórico de brigas e a vítima teria uma medida contra o suspeito, que estaria usando uma tornozeleira eletrônica. Ainda não se sabe se o aparelho, que deveria manter o suspeito longe da vítima, teve alguma falha no funcionamento.

Últimas