Minas Gerais Preso por tragédia de Brumadinho já foi investigado por caso Mariana

Preso por tragédia de Brumadinho já foi investigado por caso Mariana

Engenheiro da Vale Rodrigo Artur Gomes de Melo trabalhava como gerente das usinas do Complexo da Alegria, próximo à barragem de Fundão

Lama da barragem levou casas e veículos

Lama da barragem levou casas e veículos

BBC NEWS BRASIL

Um dos engenheiros da Vale presos na investigação do rompimento da barragem de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, já havia sido indiciado pela Polícia Federal pela tragédia de Mariana, em 2015.

Rodrigo Artur Gomes de Melo foi preso na última terça-feira (29), em Minas Gerais, junto com os engenheiros Rodrigo Artur Gomes de Melo, Ricardo de Oliveira e César Augusto Granchamp. Na mesma data, Makoto Namba e André Yum Yasuda foram detidos em São Paulo. Todos eles foram levados para Belo Horizonte para prestar depoimento.

Dono de pousada em Brumadinho e filho são enterrados em BH

À época em que foi ouvido pela Polícia Federal pelo caso de Mariana, Melo era gerente das usinas do Complexo da Alegria, da Vale. Contudo, o profissional não foi denunciado por crimes na tragédia.

Procurada, a Vale reafirmou que Melo não tinha "nenhuma responsabilidade sobre a barragem da Samarco em Mariana" e que ele foi transferido para mina Córrego do Feijão também como gerente-executivo. A empresa informou, ainda, que "prestará assessoria jurídica aos seus funcionários, sempre com o objetivo de prestar todos os esclarecimentos necessários às autoridades competentes".

A reportagem tenta contato com a defesa de Melo. O R7 procurou a Polícia Federal para comentar o indiciamento de Melo, mas aguarda retorno.