Professora morta em incêndio salvou pelo menos 25 crianças

Heley de Abreu Batista voltou três vezes para creche e lutou com vigia

Heley de Abreu morreu após ter 90% do corpo queimado
Heley de Abreu morreu após ter 90% do corpo queimado Reprodução/Facebook

A professora Heley Heley de Abreu Batista, de 43 anos, foi sepultada na tarde de sexta-feira (6) em meio à consternação na cidade de Janaúba (MG), no norte de Minas Gerais.

Ela morreu após salvar dezenas de crianças no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, enquanto o vigia Damião Soares Santos, de 50 anos, incendiava o local na última quinta-feira (5).

Pelo menos dez pessoas morreram — oito crianças, a professora e o autor do ataque. Outras 26 vítimas estão internadas, sendo 25 em estado grave.

De acordo com Camila de Abreu, casada com um primo de Heley, a notícia de que a professora salvou os alunos não foi vista com surpresa pela família, já que ela sempre demonstrou que amava as crianças.

— Tanto em Montes Claros quanto em Janaúba, o clima é de consternação. O velório de Heley foi aberto para todos, que foram ao local se despedir e agradecê-la. Ela foi uma heroína mesmo e evitou que, pelo menos 25 crianças, se queimassem. O marido dela disse que esperava atitude diferente dela. Ela amava as crianças e ele sabia que ela iria fazer algo para protegê-las.

Testemunhas afirmam que o vigia, que também vendia sorvete, atraiu as crianças dizendo que daria picolés a eles. Foi quando ele jogou líquido inflamável nas crianças e em si próprio e acendeu o fogo. O homem ainda teria abraçado as crianças com o corpo em chamas. De acordo com a polícia, Heley lutou contra o homem e voltou ao local três vezes para ajudar os alunos. Ela teve 90% do corpo queimado e morreu horas depois do ataque.

Camila afirma que a população de Montes Claros, município vizinho a Janaúba, está sendo orientada a procurar outros centros de referência, pois os hospitais da cidade estão priorizando o atendimento às vítimas da creche.

— Só de chegar na cidade, você sente um clima estranho e um silêncio ensurdecedor. Janaúba toda está triste e compadecida em prol dessa causa. Todos tentam ajudar com medicamentos, material médico, tudo quanto é tipo de doação. Foi uma coisa bonita de se ver.

Além de se dedicar ao trabalho, Heley tinha planos com o marido, que cursa odontologia. Os dois tiveram quatro filhos: de 13, de dez e de um ano e 11 meses. O primogênito morreu há cerca de dez anos, vítima de afogamento.

— A Heley era muito positiva, alegre, responsável e gostava muito do trabalho. Ela sempre mostrava fotos das crianças para a família, dos desenhos delas. Ela tinha muito carinho pelos alunos e sempre gostou de dar aulas. Ela e o marido estavam bem felizes. Agora, ele não sabe o que vai fazer para seguir em frente com os três filhos.

O MP (Ministério Público) de Minas Gerais abriu uma conta bancária para receber doações em dinheiro para auxiliar materialmente as famílias das vítimas.

SOS Creche Criança Inocente
Banco do Brasil - Banco 001 BB
Agência: 0935-0
Conta corrente: 600-9
CNPJ: 15.462.027/0001-73

Ataque em creche de Janaúba deixou local destruído. Veja imagens